Aviação agrícola cresceu mais de 3% em 2020

Home/Informativo/Aviação agrícola cresceu mais de 3% em 2020

 

A frota aeroagrícola brasileira entrou 2021 com 2.352 aeronaves, o que representa um crescimento de 3,16% no setor em 2020, destacou o portal AgroLink nesta quinta-feira (22). O balanço foi divulgado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag). A apresentação ficou a cargo do diretor-executivo do Sindag, Gabriel Colle, que falou também comparativos da presença no campo de aeronaves turboélices em relação aos aviões a motores convencionais (a pistão), além da fatia de mercado de cada modelo de aeronave. E ainda o percentual de cada tipo de combustível – gasolina de aviação (avgas), querosene de aviação (qav) e etanol, entre outros dados. Confira o gráfico, clique aqui. O levantamento foi feito pelo ex-diretor do Sindag e consultor Eduardo Cordeiro de Araújo. Como em todos os anos, Araújo se debruçou sobre os dados do Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Segundo ele, as informações são um retrato do RAB em 31 de dezembro de 2020. Araújo atua no setor aeroagrícola desde o final dos anos 1960 e viu de perto boa parte do seu desenvolvimento. Tendo acompanhado o início da sua regulamentação (na mesma década), o início de sua organização institucional (foi um dos fundadores do Sindag em 1991) e conhecido ou convivido com os pioneiros do setor no Brasil, desde Clóvis Candiota (primeiro piloto, empresário e seu patrono) e Marialdo Moreira, passando por Ada Rogato (primeira piloto agrícola mulher no País), Deodoro Ribas e José Carlos Christofoletti – este ainda hoje também parceiro do Sindag. Agrônomo e piloto, Araújo também trabalhou na Embraer e ajudou no desenvolvimento do projeto Ipanema – primeiro avião agrícola brasileiro. O saldo positivo de 72 aeronaves agrícolas em 2020 confirmou o crescimento que o Sindag havia previsto em setembro do ano passado, em uma sondagem junto aos fornecedores de aeronaves agrícolas brasileiro e norte-americanos. “Erramos por apenas dois aviões em nossa projeção, mas acertamos ao dizer que o crescimento se manteria acima dos 3%, pelo terceiro ano consecutivo”, destaca o presidente da entidade, Thiago Magalhães Silva – que não participou do evento, mas fez a análise antes do encontro.

Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) contrata aeronave para combate a incêndios florestais

O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) publicou na terça-feira (20) no Diário Oficial do Estado a contratação de aluguel de aeronaves por hora-voo da empresa Serrana Aviação Agrícola, de São Gabriel do Oeste (MS). Segundo o Sistema Brasileiro do Agronegócio o contrato, de R$ 2,9 milhões, será pago com recursos de compensação ambiental destinados à prevenção e combate a incêndios florestais. Segundo o contrato, a empresa irá fornecer equipamentos e funcionários para a realização do serviço quando necessário, para atendimento às necessidades das unidades de conservação e em zonas de amortecimento, além da área de uso restrito na planície inundável do Pantanal. “Essa é uma ação de prevenção. Estamos nos precavendo para o caso de incêndios ocorrerem, a exemplo do cenário dos dois últimos anos. É uma preparação para termos melhores condições para o combate. No ano passado, com o apoio do setor sucroalcooleiro e das prefeituras do interior, utilizamos esse tipo de aeronave no combate ao incêndio no Parque das Nascentes do rio Taquari e foi muito importante. Agora, já temos essa possibilidade, com a contratação das horas-voo. Importante frisar que, de acordo com o contrato, o Estado só paga se usar. O que temos é uma garantia de custo com a empresa, que ofereceu o menor preço e tem de honrar com ele quando for acionada”, afirma o diretor-presidente do Imasul, André Borges. Os recursos serão investidos na compra de veículos e equipamentos, incluindo um avião Air Tractor, modelo norte-americano capacitado para combate a incêndios florestais, além de treinamento dos bombeiros e horas-voo de aeronave para combate a fogo. O contrato global é de R$ 56,6 milhões. O governo publicou no início desta semana o decreto que institui o Plano Estadual de Manejo Integrado do Fogo (Pemif).

Como a tecnologia tem ajudado o agro a usar defensivos de forma mais eficiente

Produzir mais na mesma área, utilizando menos recursos, é um dos lemas da agricultura sustentável. De acordo com a Revista Globo Rural essa busca por eficiência tem levado as indústrias de maquinários agrícolas e empresas do ramo químico e de biológicos a firmar parcerias e apoiar startups com ferramentas promissoras na aplicação de produtos, sejam eles defensivos convencionais ou biológicos. A cesta de tecnologias à disposição do agricultor é vasta – cada grande player tem sua plataforma de agricultura digital com diferentes serviços. Em linhas gerais, tudo começa com o monitoramento: veículos aéreos não tripulados (vants), drones, satélites ou sensores embarcados em máquinas agrícolas, que fazem imagens multiespectrais, que indicam, por exemplo, quais talhões da lavoura têm mais incidência de plantas daninhas. “Esse mapa de prescrição pode ser passado para o pulverizador, que vai aplicar o produto em taxa variável, abrir o bico e liberar os produtos somente onde for necessário”, explica Wanderson Tosta, diretor da Jacto. O aprimoramento tecnológico vai além. Os últimos pulverizadores da empresa paulista contam com uma solução chamada EletroVortex, que usa um sistema de fluxo de ar aliado ao conceito da eletrostática para driblar uma dificuldade do produtor, que é “depositar o produto em toda área foliar da planta, quando a cultura está em fase avançada”, explica Daniel Petrelli, engenheiro agrônomo especialista em tecnologias de aplicação da Jacto. O defensivo passa por um bocal eletrostático e recebe cargas negativas – e, assim, é facilmente atraído pelas plantas. A solução favorece a aplicação mesmo em condição desfavorável de clima e reduz a deriva em até 35%, o que aumenta o rendimento operacional. Outra novidade da empresa é o pulverizador autônomo com monitoramento remoto. A busca por precisão não para por aí. No ano passado, a Jacto e a Koppert, empresa holandesa líder em produtos biológicos no Brasil, firmaram parceria para o desenvolvimento de novas soluções. O primeiro resultado, que deve estar disponível na próxima safra de verão, é a soltura de produtos macrobiológicos (insetos) por drones.

Falta de fiscais se acentua e afeta embarque aéreo de frutas

A falta de agentes para fiscalizar o comércio externo de produtos agropecuários é uma queixa recorrente da categoria, mas o problema ganhou novos contornos na pandemia, que exigiu o afastamento de profissionais que integram os grupos de risco de contaminação pela covid-19. A escassez de pessoal afeta particularmente o desembaraço nos aeroportos das frutas, que, entre os itens vegetais, estão entre os mais dependentes do modal aéreo nas vendas ao exterior, informou o Valor Econômico nesta quinta-feira (22). O relato de Augusto Roza, diretor da capixaba Frutmel, resume o quadro. Nos primeiros meses de 2021, a empresa, que exporta mamões formosa, papaya golden e aliança, estima ter perdido 20% das cargas por causa da falta de voos e também do atraso para a liberação das remessas. A demora para o despacho deve-se principalmente ao baixo número de agentes agropecuários nos aeroportos. “A produção não sai do Espírito Santo sem um voo confirmado, mas observamos que a lentidão no momento efetivo da inspeção dos agentes aumentou”, disse Roza. A empresa utiliza os aeroportos de Guarulhos, Viracopos (SP) e Galeão (RJ) para exportar 70% de sua produção. No terminal carioca, relata ele, a demora para o despacho, localizado a alguns quilômetros de onde a fruta é colocada na aeronave, fez com que os mamões da Frutmel chegassem “passados” ao cliente estrangeiro. Em casos em que o embarque sequer pôde ser feito, a empresa teve que redirecionar as frutas ao mercado interno, bem menos rentável. No primeiro trimestre, os embarques de frutas do país somaram 245,1 mil toneladas, segundo dados compilados pela Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), volume 7% maior que o do mesmo período de 2020. Mas as vendas de mamão, uma das mais dependentes de voos para chegar aos importadores, ficaram estagnadas. O volume de janeiro a março foi de 12,9 mil toneladas. Antônio Andrade, diretor de comunicação do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical), conta que o afastamento de alguns profissionais por causa da covid-19 tem exigido a redistribuição de equipes já desfalcadas.

NA IMPRENSA

Agência Senado – Depois de MP caducar, Senado aprecia projeto de regularização fundiária

Governo Federal – IP4 de Alvarães, no Amazonas, deve começar a operar em junho

Governo Federal – Guias para pagamento de títulos de regularização fundiária podem ser emitidas pela internet

Folha de S.Paulo – Produtores agrícolas discutem setor com ministra em evento online na próxima semana

Folha de S.Paulo – Kamala Harris abre Cúpula de Líderes sobre o Clima convocada por Biden; acompanhe

O Globo – Deter aquecimento global é imperativo moral e econômico, diz Biden ao abrir Cúpula do Clima; acompanhe ao vivo

O Estado de S.Paulo – Mais vacinas: a oferta de laboratórios ligados ao agronegócio depende da Anvisa

G1 – AO VIVO: assista à Cúpula de Líderes sobre o Clima

G1 – Antes de cúpula sobre o clima, EUA anunciam corte de emissões em 50% até o fim da década

G1 – Entenda a diferença entre a ‘Cúpula de Líderes sobre o Clima’ e a COP 26

G1 – ‘Cúpula de Líderes sobre o Clima’: entenda o que está em jogo no encontro organizado pelos EUA

G1 – Na véspera de cúpula do clima, empresários debatem com Salles pauta ambiental do governo

G1 – ALE-RO aprova projeto de lei que altera limites de reserva extrativista e parque estadual

G1 – EUA querem que Brasil aja sozinho no combate ao desmatamento antes de se comprometerem a colaborar

G1 – Servidores do Ibama denunciam que fiscalização ambiental está paralisada após decisão de Salles

Valor Econômico – Cenário positivo para os moinhos no país

Valor Econômico – Falta de fiscais se acentua e afeta embarque aéreo de frutas

Valor Econômico – Centro de Tecnologia Canavieira desiste de IPO

Valor Econômico – Nestlé cresce mais com vendas de café no Brasil e no mundo

Valor Econômico – Produtores criticam exigências ambientais acima das previstas em lei

Valor Econômico – Commodities: Milho atinge maior patamar em quase oito anos em Chicago

Valor Econômico – Preços médios das commodities tendem a subir em 2021, diz Banco Inter

Valor Econômico – Commodities: Açúcar, cacau, suco e algodão sobem em Nova York

Valor Econômico – Commodities: Contratos futuros de açúcar demerara sobem 1% em NY

Valor Econômico – Commodities: Café passa por correção e fecha em leve queda em Nova York

Valor Econômico – Cargill e grupo Love’s unem-se para produzir diesel renovável nos EUA

Valor Econômico – Empresas de carnes enfrentam impasse com ‘veto’ a milho dos EUA

Valor Econômico – Gecex formaliza suspensão de taxas de importação de soja e milho

Valor Econômico – Suspensão de tarifas sobre grãos não deve afetar preços, diz Aprosoja

Valor Econômico – Área de queima controlada de cana em SP é a menor da história

Mapa – Mapa divulga zoneamento agrícola de feijão para a primeira safra 2021/2022

Mapa – Plano prevê medidas para assegurar sustentabilidade da pesca de arrasto no Rio Grande do Sul

Mapa – Mapa lança bases para promoção da agricultura de baixo carbono até 2030

ANAC – ANAC promove 5ª edição do Segurança em Foco dias 27, 28 e 29/04

Embrapa – Moretti parabeniza iniciativa de descarbonização da agricultura brasileira

Embrapa – Índice da sustentabilidade da seringueira pode identificar etapas de degradação do solo

Embrapa – Inscrições abertas para o Startup Way Agritech

Embrapa – Embrapa Cocais e Sagrima realizam dia de campo virtual sobre manejo da cultura do arroz

Embrapa – Pesquisadoras participam de sessão da FAO sobre Recursos Genéticos Florestais

Embrapa – Audiências públicas de apresentação das candidaturas à Chefia-Geral da Embrapa Agrobiologia serão no dia 22

CNA – Cadeia produtiva do coco em Trairi, no Ceará, recebe pela primeira vez Assistência Técnica do AgroNordeste – ATeG

CNA – Senar lança série de vídeos sobre mecanização agrícola

CNA – Governo do Estado, através da Sedap, Ufra e Faepa realizaram reunião do Conselho Estadual do Agronegócio

CNA – Senar Goiás lança curso de inglês gratuito voltado para o agronegócio

CNA – Projeto do Senar-MT auxilia produtores de Vila Rica a recuperarem áreas degradadas

SBA – Jair Bolsonaro participa de evento online sobre clima

SBA – Entrevista: novo presidente da Aprosoja Brasil comenta expectativas sobre a gestão

SBA – Volume de etanol hidratado negociado e captado em SP sobe 28,4%

SBA – Imasul contrata aeronave para combate a incêndios florestais

AgroLink – Plano mira agricultura de baixo carbono no Brasil

AgroLink – Aviação agrícola cresceu mais de 3% em 2020

AgroLink – Cresce aplicação de agroquímicos via irrigação

Canal Rural – Cúpula do Clima: Bolsonaro promete zerar emissões até 2050

Canal Rural – Soja: Cesb e CropLife Brasil fazem parceria com foco em inovação e sustentabilidade

Canal Rural – ‘Governo corta recursos do agro para manter emendas parlamentares’

Canal Rural – Programa ABC+ mostra comprometimento do Brasil com o meio ambiente, diz Daoud

Canal Rural – Governo cria programa para ampliar uso de combustíveis sustentáveis

Portal do Agronegócio – Controle biológico e novas variedades de plantas no combate a pragas da cana-de-açúcar

Portal do Agronegócio – Colmeia Viva, do Sindiveg, apoia ações do projeto Citricultura Sustentável

Revista Globo Rural – Governo aprova criação de plano para combustíveis sustentáveis e de baixo carbono

Revista Globo Rural – Como a tecnologia tem ajudado o agro a usar defensivos de forma mais eficiente

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »