Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) comemora resolução que torna viável importação de milho dos EUA

Home/Informativo/Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) comemora resolução que torna viável importação de milho dos EUA

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) informou, em comunicado, que avalia como positiva a Resolução Normativa n° 32, publicada nesta quinta-feira (17) no Diário Oficial da União (DOU) pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), que altera regras em relação a cultivares transgênicas e torna viável, entre outros pontos, a importação de milho produzido nos Estados Unidos. Segundo o Valor Econômico a entidade lembra que a setor produtivo enfrenta problemas para adquirir insumos básicos de produção — milho e soja, responsáveis por 70% dos custos de produção de aves, suínos e ovos —, por causa de altas históricas de preços no país, e por isso considera importante a diversificação das fontes de abastecimento. “Com a redução do desequilíbrio que existia entre a fácil exportação de grãos brasileiros e a difícil importação para território nacional, além da viabilização técnica da importação proveniente de grandes produtores de grãos, como é o caso dos EUA (aliada à isenção da TEC de importação desses insumos), espera-se que a especulação que causou aumentos injustificados no Brasil (com impacto na inflação dos alimentos) arrefeça gradativamente”, afirmou a ABPA no comunicado.

Redução nas compras feitas pela China acende alerta no setor de carne bovina do Brasil

A desaceleração das exportações de carne bovina do Brasil para a China tem gerado preocupação ao setor se a capacidade de o gigante asiático comprar proteína brasileira estaria chegando ao limite, avalia o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), informou a Revista Globo Rural nesta quinta-feira (17). Conforme dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia, citados pelo Cepea, os embarques de carne bovina para a China caíram 20% entre maio de 2020 e maio de 2021, passando de 83,9 mil toneladas para 67,3 mil toneladas. Entre dezembro de 2020 e maio deste ano, a redução foi ainda maior, de 24% – no último mês do ano passado, a China foi destino de 88,6 mil toneladas da carne bovina brasileira. Conforme o Cepea, nos últimos anos, a venda brasileira da carne bovina tem se concentrado no país asiático. Em 2021, 44% do produto teve como destino a China. Em 2020, 39%. A expectativa é de que o mês de junho termine com exportações abaixo da quantidade exportada em junho do ano passado. Ainda conforme o relatório, até a semana passada os embarques somavam 53,45 mil toneladas, com média diária em 6,68 mil toneladas. Nesse ritmo, o mês deve fechar totalizando 140 mil toneladas. Em junho de 2020 foram 151,921 mil toneladas. Segundo o Cepea, “essa desaceleração das exportações da proteína à China gera preocupação dentre os agentes do setor, que se indagam se a demanda chinese por carne brasileira não teria atingido um limite”. A redução estaria atrelada, conforme o centro de estudos, à recuperação do rebanho de suínos na China – a carne suína é uma das mais consumidas no país asiático.

Seguro rural para pecuária de leite e de corte será avaliado em videoconferência do Mapa

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizará no dia 25 de junho, às 15h, uma videoconferência do projeto Monitor do Seguro Rural, dedicada a apresentar os produtos disponíveis para a pecuária bovina de leite e de corte, além dos produtos de seguro para pastagem e milho silagem. O objetivo é avaliar e propor aperfeiçoamentos nos produtos e serviços ofertados pelas seguradoras, que estudam a criação de seguros para essas atividades com coberturas mais aderentes às necessidades dos produtores. Para participar da videoconferência basta acessar o link da plataforma Teams na data e horário agendados: http://tinyurl.com/msrcorte. O evento é virtual e limitado a 350 participantes, permitindo interação do público com perguntas e propostas aos produtos de seguros apresentados. O trabalho é coordenado pelo Departamento de Gestão de Riscos do Mapa e terá a participação de produtores com o apoio das entidades representativas do setor, cooperativas, associações, revendas de insumos, companhias seguradoras, empresas resseguradoras, corretores, peritos e instituições financeiras. O seguro rural de pecuária conta com subvenção ao prêmio de 40% e, em 2020, registrou 1.722 apólices contratadas no Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR). “Os seguros rurais de pecuária em geral precisam ser mais conhecidos pelos produtores. O monitor é uma oportunidade de dialogarem com as seguradoras para compreender as coberturas e propor melhorias ou até novos seguros”, explica o diretor do Departamento de Gestão de Riscos do Mapa, Pedro Loyola. No caso da pecuária de leite e de corte, quatro companhias de seguros (BrasilSeg, Fairfax, Mapfre, Swiss Re) estão habilitadas no PSR e, dependendo da seguradora e do produto, destina-se a animais registrados em associação de raça ou não registrados, podendo ser contratados nas modalidades seguro pecuário bovino ou rebanho vida em grupo, de acordo com a característica dos animais. O seguro tem como objetivo garantir indenização ao segurado em caso de morte do animal, sendo os principais riscos cobertos: acidente, doenças infecto contagiosas endêmicas e epidêmicas preveníveis, (desde que comprovadas por exames laboratoriais), raio, eletrocussão, intoxicação, ingestão de corpos estranhos, picada de cobra, entre outras. Até o momento, a BrasilSeg (seguradora que atende os clientes do Banco do Brasil) disponibiliza o seguro de faturamento ao produtor de pecuária de corte, que garante a indenização sempre que o faturamento obtido com o rebanho segurado for inferior ao faturamento garantido em apólice.

Brucelose é tema de evento online do Desenvolve Pecuária

Na próxima terça-feira, dia 22 de junho, o Instituto Desenvolve Pecuária promove o seu primeiro evento online com uma palestra sobre Brucelose bovina. De acordo com o portal AgroLink o palestrante convidado é Mateus Paranhos da Costa, professor adjunto do Departamento de Zootecnia, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Jaboticabal (SP). Mateus Paranhos da Costa é formado e tem mestrado em Zootecnia, é doutor em Psicobiologia e realizou pós-doutorado em Bem-Estar Animal na Universidade de Cambridge, Inglaterra. Também é colaborador no Programa de Pós-Graduação em Psicobiologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (USP) e professor visitante no Programa de Pós-Graduação em Produção Animal Subtropical da Universidade Nacional del Nordeste, em Corrientes, Argentina. O especialista foi pesquisador visitante na sede da Organização para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas (FAO), em Roma (Itália), e membro do Comitê de Bem-Estar Animal e Educação, da DG Sanco – Comissão Europeia, em Bruxelas, Bélgica. Paranhos da Costa tem mais de cem artigos científicos publicados. O evento vai começar às 18h30min e poderá ser acompanhado pelo canal do YouTube do Instituto Desenvolve Pecuária no endereço https://www.youtube.com/channel/UCwnHnkcxEr44K0IJY0U2cPg.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Brasil tem exportação recorde de carne bovina para EUA  
O Globo – Prefeitura conclui que animais de moradora da Zona Oeste do Rio sofrem maus-tratos 
G1 – De onde vem o que eu como: além da alimentação, ovo é matéria-prima para a produção de vacinas 
G1 – Guarda compartilhada funciona para pets? Ouça dicas em podcast 
Correio Braziliense – Cientistas desvendam segredos genéticos dos menores mamíferos mergulhadores do mundo 
Valor Econômico – Governo de SC libera licenças ambientais para JBS investir R$ 442 milhões 
Valor Econômico – ABPA comemora resolução que torna viável importação de milho dos EUA 
Valor Econômico – Motif FoodWorks, fabricante de ingredientes à base de plantas, capta US$ 226 milhões  
Mapa – Seguro rural para pecuária de leite e de corte será avaliado em videoconferência do Mapa 
Embrapa – Você é o que nos move: Avicultura alternativa para produção de ovos abre a programação de lives técnicas da Embrapa Suínos e Aves 
AgroLink – Brucelose é tema de evento online do Desenvolve Pecuária 
AgroLink – Projeto-piloto busca melhorar eficiência na bovinocultura leiteira 
AgroLink – Carne de frango: no 1º trimestre, exportações absorveram 27,5% do volume inspecionado 
AgroLink – Baixas temperaturas prejudicam reprodução de peixes 
AgroLink – Ovos: mesmo em desaceleração, mercado sustenta as cotações dos últimos dias 
AgroLink – MSD Saúde Animal participa de conversa sobre bem-estar animal aberta ao público 
Anda – Porquinho resgatado após cair de caminhão vai viver em santuário 
Anda – Aumenta o número de agências de turismo dispostas em não oferecer interação com animais silvestres no Brasil 
Anda – Petição contra festival chinês de carne de cachorro bate 3 milhões de assinaturas 
Anda – Matadouro, o que é isso mesmo?  
Anda – Pandemia é resultado do desrespeito à natureza e aos animais, diz Jane Goodall 
Canal Rural – Diferença de preços entre carne suína e bovina bate recorde, diz Cepea 
Canal Rural – Preço do milho sobe 12 vezes mais que inflação e afeta produção de frango no RS 
Canal Rural – Criar perus: veja as principais diferenças em relação à produção de frangos 
Portal do Agronegócio – Segmento de gado de corte se consolida como uma das grandes apostas do agronegócio 
Portal do Agronegócio – Produtores de ovinos devem redobrar cuidados com cordeiros durante frio 
Portal do Agronegócio – Zoetis lança a Coleção Avicultura em Prática 
Revista Globo Rural – BRF se reunirá com avicultores do MT para negociar pagamento retroativo 
Revista Globo Rural – Redução nas compras feitas pela China acende alerta no setor de carne bovina do Brasil 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »