Após lei tornar punição mais rígida em casos de maus-tratos a animais, Itu (SP) registra quase o dobro de ocorrências em 2020

Home/Informativo/Após lei tornar punição mais rígida em casos de maus-tratos a animais, Itu (SP) registra quase o dobro de ocorrências em 2020

Itu (SP) registrou quase o dobro de ocorrências de maus-tratos a animais em 2020 após a Lei Sansão ter entrado em vigor, em setembro do ano passado. Agora, a punição para esse crime é mais rígida. No município, pelo menos 10 denúncias são registradas por semana, informou o G1. De acordo com a Polícia Civil, no ano passado foram 57 casos investigados. Já em 2019 foram 29 ocorrências envolvendo animais domésticos e silvestres. A delegada titular da delegacia de Itu, Márcia Cruz, explica que a maior mudança ocorreu em casos de crimes de maus-tratos contra cães e gatos. “A pena aumentou e mudou o regime. Então, é de dois a cinco anos de reclusão por uma questão técnica. A pessoa vai passar por audiência de custódia e a decisão vai caber ao juiz”, explica a delegada. Em 22 de janeiro deste ano, duas mulheres foram presas por maus-tratos na Chácaras Reunidas Ipê, em Itu. No local, foram identificadas cinco baias onde os animais eram mantidos. Somente neste ano, seis pessoas foram presas em flagrante por maus-tratos a animais na cidade. Denise de Fátima Rodrigues é veterinária e diretora da ONG Malucos por Animais, que faz tudo de forma voluntária para manter os animais até que eles sejam adotados. Nos últimos três meses, 34 já passaram pela organização. “Eles gostarem da gente, darem esse carinho para a gente é a melhor coisa do mundo. Não tem nada e nenhum dinheiro que pague isso”, relata. Denise também planeja construir mais sete canis para conseguir receber mais animais.

Brasil abre três novos mercados para exportação

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento anunciou a abertura de mais três mercados para produtos brasileiros. O Camboja vai passar a comprar carne suína do Brasil, destacou o portal AgroLink nesta quarta-feira (17). A abertura é válida para cortes in natura e processados de carne suína de indústrias habilitadas pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF) do Brasil. O Chile liberou a compra de ovos SPF (Specific Pathogen Free, na sigla em inglês), que são livres de patógenos específicos do Brasil. A Colômbia, por sua vez, confirmou a abertura para importar sementes de arroz brasileiras. A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) comemorou o anúncio do país do Sudeste Asiático, que está com pouco mais de 15 milhões de habitantes e está em intenso processo de urbanização e incremento da renda per capita, o que influencia o potencial de crescimento de consumo per capita de carne suína, hoje em 10 quilos anuais por habitante. “O Camboja é uma nação emergente produtora de suínos, mas que recentemente foi impactada por casos de Peste Suína Africana. Neste contexto, o Brasil deve se firmar como um parceiro sólido para complementar a demanda local, auxiliando a segurança alimentar da população cambojana”, avalia o presidente da ABPA, Ricardo Santin. No ano, a Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura contabiliza cinco ações de aberturas de novos mercados. Em janeiro, outros dois mercados foram abertos: carne de ovinos para Arábia Saudita e tripas e bexigas bovinas para a Argentina.

Sanidade Suídea do IMA discute Plano Integrado de Vigilância

Reunião on-line realizada nesta segunda-feira (15) discutiu as primeiras tratativas do ano sobre o Plano Integrado de Vigilância de Doenças em Suínos no estado. Segundo o Portal do Agronegócio o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), vinculado à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), é o responsável em Minas pela fiscalização sanitária do plantel suinícola. O Plano Integrado amplia o escopo das doenças alvos de vigilância para Peste Suína Clássica (PSC), Peste Suína Africana (PSA) e Síndrome Respiratória Reprodutiva Suína (PRRS). Participaram do encontro virtual 66 servidores e membros do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Entre as deliberações acordadas, destacam-se a redefinição dos componentes do sistema e a vigilância baseada em riscos, contendo planejamento de vistorias pontuais e estratégicas no estado. A vigilância baseada em risco, que será realizada pelos fiscais do IMA, pode prevenir ainda mais a introdução e disseminação das doenças. “Os resultados esperados incluem a ativação de respostas rápidas e o apoio a certificação e negociações comerciais.  A vigilância baseada em risco diminui tempo de resposta a uma suspeita de doença, além da economia de recursos em diárias, combustível e análises de laboratório”, explica a coordenadora estadual de Sanidade Suídea, a fiscal do IMA, Júnia Mafra. O Plano Integrado está em consonância com normas publicadas pelo Departamento de Saúde Animal (DSA), que foram revisadas para fortalecer a detecção precoce das doenças e demonstrar a ausência de PSC, PSA e PRRS.

Brechas na lei de proteção animal da China trazem risco de novas pandemias

Após um ano da pandemia da Covid-19, conservacionistas temem que os esforços de Pequim para prevenir o surgimento de outra doença zoonótica não vão longe o bastante, escreve William Yang. Já faz mais de um ano desde que o surto de um vírus misterioso foi rastreado até um mercado úmido da cidade central chinesa de Wuhan, e era difícil para qualquer um imaginar em janeiro de 2020 que a doença antes desconhecida, que viria a ser chamada de Covid-19, infectaria mais de 100 milhões de pessoas no mundo todo. De acordo com o portal Anda pouco depois da propagação do vírus pela cidade de mais de 11 milhões de habitantes em janeiro de 2020, oficiais locais em Wuhan rapidamente fecharam o Mercado de Frutos do Mar de Huanan. Depois, em fevereiro de 2020, o Congresso Nacional do Povo (NPC) da China aprovou uma proibição no consumo de animais selvagens como alimento. A ação foi seguida por planos de revisar a Lei de Proteção à Vida Selvagem da China, reformar a Lei de Prevenção de Epidemias Animais e de introduzir uma Lei de Biossegurança, tudo isso fazia parte dos esforços de Pequim para prevenir outras doenças zoonóticas de passar de animais para humanos no futuro. A proibição temporária de alimentar-se de vida selvagem teve alguns efeitos imediatos nos mercados e fazendas de animais selvagens da China, uma indústria lucrativa que vale £13 bilhões anualmente, de acordo com um relatório publicado pelo Brookings Institute, em janeiro. A proibição significa que o hábito de consumir vida selvagem como alimento se tornará algo que pertence ao passado em muitas partes da China. De acordo com o Fang, o banimento tornou quase impossível que comerciantes vendessem animais selvagens nos mercados pela China. A campanha “Pare o Comércio Ilegal de Vida Selvagem” do jornal “The Independent”, que foi lançada no ano passado, busca um esforço internacional para parar com a caça e comércio de animais selvagens, que continua sendo uma das maiores ameaças à biodiversidade no futuro.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – No Dia Mundial do Gato, conheça dez felinos maravilhosos para seguir no Instagram

Folha de S.Paulo – Cães azuis são resgatados na Rússia

Folha de S.Paulo – Cliente assíduo, cachorro espera restaurante fechar para ganhar comida

O Estado de S.Paulo – Mitos, verdades e dicas sobre gatos

O Estado de S.Paulo – Polícia flagra prefeito do Paraná com seis galos de rinha no carro oficial

O Globo – Parcão do Campo de São Bento é criticado por donos de pets

O Globo – Duas crianças e um homem ficam gravemente feridos após ataque de cães na Região dos Lagos

G1 – Inscrições para curso de atendimento a casos de maus-tratos de animais estão abertas, no Paraná

G1 – Número de animais silvestres resgatados em cidades de Mato Grosso do Sul cresce

G1 – Polícia investiga tráfico de animais silvestres pela internet

G1 – Nos últimos quatro anos, 960 animais resgatados pela Dibea foram adotados por famílias Prefeitura de Matias Barbosa reforça ações de combate ao maus-tratos e abandono de animais

G1 – Advogado explica leis sobre manter animais silvestres em cativeiro

G1 – Após ser preso no RS com galos de rinha, prefeito de Boa Vista da Aparecida é solto e nega ser dono dos animais

G1 – Após lei tornar punição mais rígida em casos de maus-tratos a animais, Itu registra quase o dobro de ocorrências em 2020

G1 – Veja como denunciar maus-tratos ou crueldade contra animais

G1 – Idaron compra avião de quase R$ 1 milhão para reforçar fiscalização de sanidade animal em RO

Valor Econômico – JBS quer ter 10 marcas bilionárias em 5 anos

Valor Econômico – ABPA comemora abertura do Camboja para a carne suína brasileira

Valor Econômico – Lucro líquido da Zoetis caiu 7% no 4º trimestre de 2020

Embrapa – Participação em consulta pública sobre indústria de ovos agrega especialistas e instituições do Rio de Janeiro

CNA – Técnica do descarte orientado eleva produtividade da ovinocultura em MS

CNA – Em um ano preço do quilo vivo de ovinos em MS teve crescimento de 18,8%

AgroLink – Ovos: semana apresenta estabilidade nos preços

AgroLink – Processo de fiscalização de suínos segue em frente nos EUA

AgroLink – Em um ano preço do quilo vivo de ovinos em MS teve crescimento de 18,8%

AgroLink – Brasil abre três novos mercados para exportação

AgroLink – Pecuaristas gaúchos têm controle eficaz de carrapatos e outros problemas sanitários com o Programa Vetoquinol Resolve

AgroLink – Preços firmes no mercado de reposição

AgroLink – Realidade aumentada auxilia inspeção de alimentos

AgroLink – Fontes naturais de nitrito de sódio beneficiam carne

Anda – Portugal e Brasil unidos pelo ambiente e pelos animais

Anda – Entidade salva a vida de 42 vacas e bezerros que seriam mortos para consumo

Anda – Veterinários operam gato e usam botões de plástico para recuperar sua mandíbula

Anda – Projeto oferece alimentos veganos através de geladeira comunitária

Anda – Elefante escravizado para entreter turistas é abandonado para morrer de fome

Anda – Brechas na lei de proteção animal da China trazem risco de novas pandemias

Portal do Agronegócio – Custos de produção para a suinocultura subiram 1,10% em janeiro

Portal do Agronegócio – VBP do frango cresce menos que o do boi e o do suíno em uma década

Portal do Agronegócio – Sanidade Suídea do IMA discute Plano Integrado de Vigilância

Portal do Agronegócio – ABPA comemora abertura de Camboja para a carne suína do Brasil

Portal do Agronegócio – Fórum de Líderes da Avicultura de Postura

Portal do Agronegócio – Cai 23,9% volume de carne de Mato Grosso vendida no exterior

Notícias Agrícolas – SC reforça investimentos na indenização de produtores rurais para erradicar a brucelose e tuberculose

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »