Aplicação aérea eliminou 15% da nuvem de gafanhotos, estimam argentinos

//Aplicação aérea eliminou 15% da nuvem de gafanhotos, estimam argentinos
Neste sábado (4), a Revista Globo Rural destacou que, a aplicação de químicos com aviões para combater a nuvem de gafanhotos realizada na quinta-feira (2) pelas autoridades fitossanitárias argentinas teria eliminado cerca de 15% da praga, segundo o representante local das Confederações Rurais Argentinas (CRA), Martin Rapetti. A ação ocorreu nas redondezas da cidade de Paraje El Descanso, na província de Corrientes, em uma área de 115 hectares. A avaliação feita por Rapetti foi enviada ao Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) ao final desta sexta-feira (3), após o retorno a campo durante o dia dos técnicos do Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agroalimentar da Argentina (Senasa) para avaliar a situação. Em balanço na noite desta sexta, o órgão governamental não informou o quanto da nuvem foi erradicada. No entanto, foi ressaltado que o tempo frio ajudou a conter a movimentação dos gafanhotos. “No local, verificou-se que a nuvem restante não apresentava grandes deslocamentos, devido às baixas temperaturas. Os gafanhotos fizeram pequenos voos que os levaram a se instalar 4 quilômetros ao sul”, afirma o boletim. O Senasa alertou, ainda, que as temperaturas acima de 15ºC previstas na Argentina para os próximos dias podem contribuir para a movimentação do inseto. “Amanhã de manhã (neste sábado) será retomado o monitoramento e acompanhamento da nuvem, que de acordo com as condições climáticas previstas, poderão ter um novo deslocamento migratório”, completou o órgão. Esta foi a segunda aplicação aérea realizada pelas autoridades fitossanitárias argentinas. A primeira ocorreu no último dia 26, no interior da cidade de Curuzú Cuatiá, também na província de Corrientes, e teria eliminado outros 15% da nuvem. No Brasil, as autoridades seguem em alerta. Segundo Ricardo Felicetti, chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Secretaria da Agricultura do Rio Grande do Sul, há uma rede de vigilância com 11 técnicos fazendo o monitoramento em cidades na linha de fronteira. A vigilância é realizada em parceria da Emater, órgão de extensão rural do governo gaúcho, junto com as secretarias de Agricultura dos municípios. Na última semana, Ministério da Agricultura declarou estado de emergência fitossanitária para os Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina pelo prazo de um ano. A ação é preventiva para o caso da nuvem cruzar a fronteira com o Brasil.

Há 73 anos, nuvem de gafanhotos no Rio de Grande Sul deu início à aviação agrícola no país

Em 19 de agosto de 1947, há quase 73 anos, nascia em Pelotas (RS) a aviação agrícola brasileira, destacou o portal Bol nesta segunda-feira (6). A data celebra o primeiro voo desse ramo da aviação nacional, que foi criado para combater uma infestação de gafanhotos como a que hoje ameaça chegar ao sul do país vinda da Argentina. Com o estado de emergência fitossanitária declarado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a aviação agrícola volta agora a ganhar destaque, justamente para conter essa praga. O combate a essa nuvem de gafanhotos pode ser feito com produtos químicos ou biológicos e depende de autorização do Ministério da Agricultura. A escolha de qual produto usar depende da cultura plantada, do volume da infestação e do menor impacto ambiental possível, entre outros fatores. Para esse tipo de voo, especificamente, os aviões decolam de manhã, enquanto os insetos ainda estão em repouso sobre as plantações. A pulverização dos agrotóxicos não pode ser feita próximo a áreas urbanas, onde existam pessoas circulando, nem perto de áreas de proteção ambiental. Para evitar que os químicos sejam dispersados em locais indesejados, os voos são feitos a cerca de 8 a 10 metros acima do solo, atingindo diretamente a nuvem de insetos, que tem altura registrada de até 6 metros. Para lançar sementes e até gerar chuvas. Com predominância de voos rasantes, a aviação agrícola vai além da pulverização de agrotóxicos para o combate a pragas, função pela qual estigmatizada. Ela também é responsável por espalhar fertilizantes, lançar sementes no solo, povoar rios (com lançamento de alevinos), combater incêndios e até para gerar chuvas, com o lançamento de produtos que aglutinam a umidade do ar e criam as nuvens artificiais. Os aviões agrícolas possuem uma maneira de pilotar que atende a situações que nenhum outro costuma ter de passar. Essas aeronaves voam a altitudes muito baixas, passando a cerca de três metros de altura em relação às plantações em diversas situações. Em caso de erro, o piloto tem menos chances de corrigir o problema antes de uma eventual queda. Para evitar que os agrotóxicos utilizados pela aviação agrícola errem o alvo ou sejam desperdiçados, os aviões contam com diversas tecnologias. Saber a posição exata do avião, com precisão de poucos metros, é de grande importância, pois permite que a pulverização seja interrompida antes de atingir locais onde ela não é permitida, como a proximidade de casas e lagos. Em 2019, a aviação agrícola respondeu por 20,5% dos acidentes aéreos, ficando atrás dos segmentos das aviações privada e experimental, que responderam por 37% e 22,5% dos acidentes no período, respectivamente. Segundo Thiago Magalhães, presidente do Sindag (Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola), a maioria das ocorrências de perdas de controle em voo se deve a erros de julgamento dos pilotos, que acabam não seguindo à risca os procedimentos estabelecidos, ocasionando os acidentes. As colisões durante o pouso e a decolagem representam uma pequena fração relacionada a toda a atividade realizada no período. São situações onde a pista está escorregadia ou em que o avião está muito carregado e não consegue decolar, por exemplo.

Projeto busca eficiência máxima com maturadores

As empresas de defensivos IHARA, de software de pulverização aérea Perfect Flight e a empresa de pesquisa agrícola Sabri- Sabedoria Agrícola se uniram no chamado Projeto Sato, informou o portal AgroLink nesta segunda-feira (6). A iniciativa busca compartilhar informações técnicas, com o auxílio da tecnologia, para melhor gestão do canavial e aumento de retorno financeiro ao produtor. As empresas unem seus serviços e ações com foco em ampliar o conhecimento dos clientes sobre o uso de maturadores na cana, capacitando a equipe técnica das usinas, os produtores e os distribuidores, e oferecer os serviços de gestão de aplicação aérea e clínica de aeronaves. O uso de maturadores na cana-de-açúcar permite ao produtor calcular a colheita e estabelecer o melhor nível de açúcar na planta. No projeto a IHARA fornece o maturador, a clínica de aeronaves Do Pro, que faz parte da Sabri – Sabedoria Agrícola, e os serviços de gestão de pulverização de defensivos agrícolas aéreos da Perfect Flight, permitem que o produtor gerencie os resultados e faça o acompanhamento eficaz na sua produção. O projeto permite contabilizar os resultados na propriedade e também conta com qualificação como workshops, cursos e palestras sobre a maturação, além de visitas técnicas dos profissionais, explicando no campo todos os benefícios. A integração das ferramentas tecnológicas permite organizar os dados, gerando informações para que os gestores tomem decisões para obter melhores resultados no manejo da colheita da cana e economia de insumos. Para participar, o produtor e as usinas, ao adquirirem o Riper, maturador da IHARA, preenchem alguns requisitos de interesse e poderão ter acesso ao projeto e receber os serviços. Entre eles, a inteligência dos serviços da Perfect Flight, com mapeamento e georreferenciamento das áreas onde serão aplicados os defensivos agrícolas. A Clínica de Aeronaves da Do Pro analisa todas as condições do avião para fazer uma pulverização correta e assertiva.

Projeto determina que normas sobre defesa agropecuária sejam divulgadas na internet

O Projeto de Lei 2993/19 determina que todos os atos normativos relacionados à defesa agropecuária deverão ser publicados na internet, organizados de modo a facilitar a busca e a consulta pelos interessados. O texto tramita na Câmara dos Deputados. De acordo com publicação da Agência Câmara da última sexta-feira (3), as informações serão franqueadas ao público livremente, sem nenhuma exigência, como preenchimento de cadastros ou identificação do solicitante. A proposta é de autoria do senador Eduardo Gomes (MDB-TO). Ele afirma que a finalidade é adequar os atos normativos sobre defesa agropecuária, como decretos, portarias e até tratados internacionais, à Lei de Acesso à Informação (LAI), que regula a divulgação de informações geradas pelos órgãos do poder público. Segundo o projeto, os documentos serão colocados na internet com, no máximo, um dia útil de defasagem em relação à data de publicação no Diário Oficial da União. Os atos deverão ser disponibilizados com hipertexto, que permita a vinculação a outras normas correlatas; com metadados, contextualizando o conteúdo do ato na visão do Ministério da Agricultura, responsável pela política de defesa agropecuária; e com mecanismos que possibilitem a geração de relatórios e exportação dos dados.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Projeto determina que normas sobre defesa agropecuária sejam divulgadas na internet

Agência Câmara – Frente da Agropecuária debate possibilidade de oferta de apenas parte da propriedade como garantia

O Estado de S.Paulo – ‘O agronegócio não precisa da Amazônia para crescer’, diz ministra da Agricultura

O Estado de S.Paulo – TMG aposta no Cerrado para crescer em sementes

Valor Econômico – Vendas de máquinas agrícolas caíram 9,6% no país em junho

Valor Econômico – Cade aprova compra da Atvos pelo fundo Lone Star

Valor Econômico – Brasil cobra do Japão abertura de mercado para carne e melão

Valor Econômico – Empresa ajusta plano de investimentos

Valor Econômico – FS toma R$ 530 milhões em crédito verde

Valor Econômico – Pandemia eleva a taxa de poupança das famílias

Valor Econômico – Ciclone causa prejuízos milionários na agricultura

Valor Econômico – Bancada ruralista tenta impedir proibição do herbicida paraquate no Brasil

Valor Econômico – Bancos dos EUA solicitam à Justiça acesso a documentos da empresa agrícola argentina Vicentin

CNA – Boletim CNA: CMN publica resoluções que regulamentam Plano Safra 2020/2021

Embrapa – Tecnologias de todo o Brasil estarão na plataforma da AgroBrasília 2020

Embrapa – Embrapa Florestas atua na realização do mapa de cobertura vegetal do Paraná

Embrapa – Técnicos que levam tecnologias ao campo relatam nova rotina e relevância do agro

Embrapa – Curso online vai ensinar como cultivar espécies de Plantas Alimentícias Não Convencionais (Panc) em pequenos espaços

AgroLink – Projeto busca eficiência máxima com maturadores

AgroLink – Argentina diz que operação eliminou mais 15% da nuvem

AgroLink – AgroBrasília: “a nossa agricultura não parou”, diz ministra

AgroLink – Como startups podem auxiliar o produtor de hortifrúti

AgroLink – Consorcio Antiferrugem avalia fungicidas para controle de ferrugem asiática

AgroLink – PAA será debatido no 1º Congresso Virtual do Agronegócio

G1 – Projeto especial destaca o valor do agro catarinense

G1 – Veja a cotação dos produtos agrícolas nas principais bolsas internacionais

Canal Rural – Após eliminar 15% dos gafanhotos, combate na Argentina continua

Portal do Agronegócio – ‘Colmeia Viva trouxe mais segurança para minhas abelhas’, relata apicultor da região de São José do Rio Preto

Jornal Dia a Dia – Polícia Militar Ambiental de Batayporã autua em R$ 10 mil empresa de pulverização de agrotóxico por descumprimento de embargo por funcionar sem licença

Bol – Há 73 anos, nuvem de gafanhotos no RS deu início à aviação agrícola no país

Jornal O Diário – Hangar que abrigará curso técnico de mecanização de aeronaves passará por reformas

Jornal do Comercio – Pulverização aérea eliminou 15% dos gafanhotos na Argentina

Revista Globo Rural – Aplicação aérea eliminou 15% da nuvem de gafanhotos, estimam argentinos

Anda – Deputado defende uso de agrotóxico proibido em muitos países

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »