Anvisa irá integrar grupo de trabalho da OMS sobre produtos de terapia gênica e celular  

//Anvisa irá integrar grupo de trabalho da OMS sobre produtos de terapia gênica e celular  

A Anvisa divulgou nesta segunda-feira (17) que foi convidada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a participar do Grupo de Trabalho em Produtos de Terapia Gênica e Celular. O encontro será realizado nos dias 20 e 21 de fevereiro, na sede da OMS, em Genebra, na Suíça. A atuação nesse GT é estratégica para a Agência, que terá a oportunidade de apresentar às autoridades regulatórias internacionais a visão brasileira sobre os produtos de terapias avançadas, de acordo com a realidade de países em desenvolvimento, bem como conhecer, mais detalhadamente, o panorama internacional. As discussões incluirão os atributos de qualidade, definição dos produtos, padrões e estratégias de desenvolvimento clínico, assim como a análise das áreas de incerteza regulatória. A ideia é elaborar um documento-base para harmonização global das normativas regulatórias relacionadas aos produtos de terapia gênica e celular. Além do Brasil, participarão do encontro a União Europeia – representada pela Áustria –, Estados Unidos, Inglaterra, Índia e Japão. China e Coreia fazem parte do grupo de consultores, mas não comparecerão devido a questões governamentais relacionadas ao novo coronavírus. A Anvisa estará presente por intermédio da área de Sangue, Tecidos, Células e Órgãos, que contribuirá com sua expertise regulatória. O encontro na OMS será realizado na mesma semana em que a Diretoria Colegiada (Dicol) da Agência vai discutir o texto normativo proposto para o registro sanitário de produtos de terapias avançadas. A regulação, uma vez aprovada na reunião do dia 18/2, possibilitará o acesso a produtos com potencial para beneficiar pacientes que sofrem com enfermidades complexas e sem alternativas médicas terapêuticas. Em 2018, A Anvisa publicou dois regulamentos específicos sobre o tema: a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 214, que trata das boas práticas em células humanas e estabelece critérios mínimos para as operações que envolvem a fabricação dos produtos, e a RDC 260, que dispõe sobre as regras para a realização de pesquisas clínicas com produtos de terapia avançada investigacional no país.

Anúncios de falsos produtos anticoronavírus se espalham e viram caso de polícia

De acordo com publicação da Folha de S.Paulo da última sexta-feira (14), propagandas enganosas de produtos que supostamente protegem contra o novo coronavírus covid-19, como multivitamínicos orais e injetáveis, azul de metileno e ozonioterapia, têm circulado nas redes sociais e preocupado entidades médicas. Uma delas virou até caso de polícia. Na quinta-feira (5), a dona de uma farmácia na região metropolitana de Curitiba (PR) foi autuada por policiais civis sob suspeita de promover a venda de polivitamínicos sob a promessa de prevenir contra o coronavírus. No anúncio, a caixa com 90 cápsulas do suplemento era oferecida numa promoção, de R$ 90 por R$ 79,99. O estabelecimento dizia que o produto era um tratamento completo, de três meses, contra o coronavírus. Em grupos de WhatsApp também circula um vídeo de um suposto médico recomendando “imunomodulação com altas doses injetáveis de vitaminas D e C e aminoácidos” como forma de proteção. “É só você ligar aqui na clínica e agendar o seu imunoshot”, diz ele. Na mensagem, o homem afirma que a SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia) preconiza o reforço de imunidade como a única estratégia preventiva à infecção de coronavírus. A entidade divulgou nota de repúdio negando a recomendação. No comunicado, a SBI também diz que não há evidência científica de que o tal “imunoshot” previna contra a infecção. “Ainda não temos nenhum tratamento ou vacina que comprovadamente previna contra o coronavírus. Estão aproveitando dessa situação, da boa-fé das pessoas, para lucrarem em cima”, diz o infectologista Leonardo Weissmann, consultor da SBI. Segundo ele, a sociedade também recebeu diversos questionamentos sobre a eficácia da ozonioterapia contra o coronavírus, após publicação de propaganda por uma clínica de estética. De novo, não há nenhuma evidência sobre a eficácia e segurança do tratamento para prevenir a infecção. Para o infectologista Esper Kallás, professor da USP, o mais grave é que muito desse charlatanismo tem sido praticado por médicos, o que, para os desavisados, pode parecer mais crível do que as outras fake news sobre coronavírus que circulam nas redes sociais. “É gente que tem CRM [registro no conselho médico]. O paciente chega no consultório, vê diplomas pendurados na parede da sala de espera e cai no canto da sereia. Não tem como discernir que está sendo enganado.” Segundo ele, as pessoas precisam desconfiar sempre dessas recomendações médicas sedutoras, que prometem coisas sem embasamento científico.

Comissão externa debate com ministro atrasos em obras na área de saúde

A comissão externa criada para acompanhar obras públicas inacabadas no País realiza audiência pública nesta quarta-feira (19) para discutir como eliminar os entraves a programas governamentais na área de saúde, especialmente a construção de hospitais públicos e unidades de pronto atendimento (UPAs). Segundo a Agência Câmara, foram convidados: o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta; e um representante da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). O autor do requerimento para a realização da audiência, deputado Júnior Mano (PL-CE), considera a audiência necessária “para que seja apresentado um panorama da situação atual das obras e quais os principais problemas que obstaram a execução”. A audiência ocorrerá às 14h30 no plenário 5.

Folha promove seminário sobre doenças raras

A Folha de S.Paulo informou na última sexta-feira (14) que promoverá no dia 3 de março (terça-feira) o Seminário Doenças Raras. Mais de 300 milhões de pessoas sofrem de doenças raras no mundo, de acordo com levantamento realizado pelo Instituto Nacional da Saúde e da Pesquisa Médica da França. No Brasil, considera-se doença rara as enfermidades que afetam até 65 pessoas em cada cem mil indivíduos, ou seja, 1,3 pessoa em cada 2 mil indivíduos. 80% delas são decorrentes de fatores genéticos. Não há números exatos do total de doenças raras e de seus pacientes, mas estima-se que existam 10 mil doenças raras diferentes e que, no total, 13 milhões de brasileiros sejam portadores de alguma delas. evento discutirá perspectivas para ampliar o conhecimento sobre os pacientes de doenças raras e melhorar o diagnóstico. Os procedimentos para registro de novos medicamentos, os custos de sua incorporação pelo SUS e questões relacionadas à judicialização também serão objeto de uma mesa de debates. O evento, que tem patrocínio do Grupo Pardini e dos laboratórios Sanofi e Pfizer, é gratuito e começa às 9h no Museu da Imagem e do Som (av. Europa, 158, Jardim Europa) em São Paulo. As inscrições podem ser feitas pelo site Folha Eventos.

SAÚDE NA IMPRENSA

Agência Câmara – Comissão externa debate com ministro atrasos em obras na área de saúde

Agência Câmara – Para governo, MP do Contrato Verde e Amarelo facilita microcrédito

Agência Senado – Contrato de Trabalho Verde e Amarelo será votado quarta-feira em colegiado

Agência Senado – Acesso facilitado a laqueadura pode ir a votação na quarta em colegiado

Folha de S.Paulo – Folha promove seminário sobre doenças raras

Folha de S.Paulo – Navio com dois suspeitos de coronavírus atraca em Santos nesta segunda

Folha de S.Paulo – Taiwan confirma primeira morte provocada pelo coronavírus

Folha de S.Paulo – Placebos alternativos

Folha de S.Paulo – Anúncios de falsos produtos anticoronavírus se espalham e viram caso de polícia

Jornal Agora – Trabalho e redes sociais podem ser gatilhos para a ansiedade

Jornal Agora – Paciente chega a esperar 5 horas por atendimento em hospital público de SP

Jornal Agora – Saiba quando pedir a revisão para turbinar a aposentadoria do INSS

O Globo – Coronavírus será discutido no ‘Encontros O GLOBO’; veja como participar

O Estado de S.Paulo – Número de mortos pelo coronavírus passa de 1,7 mil; mais de 10 mil pessoas se recuperaram

O Estado de S.Paulo – Com coronavírus, fabricantes de máscaras passam a produzir em ritmo frenético

O Estado de S.Paulo – Americana que estava a bordo de navio atracado no Camboja tem teste positivo para coronavírus

O Estado de S.Paulo – Reavaliando o uso de reanimação cardiorrespiratória em pacientes mais idosos

O Estado de S.Paulo – Brasileiros em quarentena seguem sem sintomas de coronavírus, informa Ministério da Defesa

O Estado de S.Paulo – São Paulo registra novo caso suspeito de Coronavírus

O Estado de S.Paulo – Carnaval com saúde: veja dicas para cuidar da pele, do coração e se proteger de doenças

Agência Brasil – Agência Brasil explica: como é o transplante de órgãos no Brasil

Agência Brasil – Mais de 100 mil pessoas foram vacinadas no Rio contra o sarampo

Agência Brasil – Cai para três número de casos suspeitos de coronavírus no Brasil

Agência Brasil – Câncer: Inca alerta para sinais e sintomas persistentes em crianças

Agência Brasil – Coronavírus: Anvisa tranquiliza população de Anápolis

Correio Braziliense – Depois de apenas 4 dias de votação em 2020, Congresso terá minirrecesso

Anvisa – Anvisa irá integrar grupo de trabalho da OMS

Anvisa – Nota de esclarecimento para a população de Santos

Anvisa – Anvisa reavalia segurança do medicamento lorcasserina

Secretaria de Saúde do DF – Mobilização contra dengue percorreu cinco cidades neste sábado (15)

Secretaria de Saúde do DF – GDF planeja operação para recolher sucatas e reduzir focos do Aedes

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »