Anvisa autoriza ampliação do prazo de validade das vacinas da Janssen contra a Covid

Home/Informativo/Anvisa autoriza ampliação do prazo de validade das vacinas da Janssen contra a Covid

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou nesta segunda-feira (14) uma ampliação do prazo de validade da vacina produzida pela farmacêutica Janssen, da Johnson & Johnson, contra a Covid-19. Segundo a Folha de S.Paulo com a medida, a validade, que era de 3 meses, passará para 4,5 meses para vacinas armazenadas em temperaturas de 2ºC a 8ºC. A aprovação deve ter impacto direto no uso de 3 milhões de doses da farmacêutica que estavam previstas para chegar nesta terça-feira (15) e que agora são esperadas ao longo desta semana. Inicialmente, a data de validade dessas doses era 27 de junho. A aprovação ocorreu por meio de decisão de diretores em circuito deliberativo —quando todos os diretores se manifestam sobre um tema por meio de sistema específico, sem que haja reunião presencial para isso devido à urgência. O pedido para ampliação do prazo de validade foi feito pela empresa na quinta-feira (10), mesmo dia em que a agência reguladora dos Estados Unidos (FDA) aprovou a ampliação do prazo de validade da vacina para 4,5 meses naquele país. Em nota, a Anvisa diz que a aprovação “foi baseada em uma criteriosa avaliação dos dados de qualidade dos estudos que demonstrou que a vacina tende a se manter estável pelo período (4,5 meses)”. Aponta ainda ter considerado decisão recente da agência norte-americana. A agência lembra ainda que a medida vale para a vacina armazenada na temperatura de 2ºC a 8ºC. Quando armazenada entre temperaturas de -25ºC e -15ºC, o prazo de validade é de 24 meses, a partir da data de fabricação, informa. Até o momento, a vacina da Janssen é a única já aprovada no país que precisa de apenas uma dose para ter eficácia. O Brasil tem contratos para obter 38 milhões de doses da Janssen neste ano. As entregas estavam previstas para ocorrer entre julho e dezembro. Uma antecipação passou a ser avaliada recentemente. Desde então, o Ministério da Saúde tem dito que pretende acelerar a distribuição caso receba a vacina mais cedo. O plano inicial era distribuir as vacinas às capitais, mas alguns estados já dizem que devem estender as doses para mais municípios. No sábado (12), a pasta chegou a informar a previsão de entrega de 3 milhões de doses para esta terça-feira (15). A data, porém, foi adiada.

Executivos de farmacêuticas misturam vacinas para maior proteção

Quando se trata da própria saúde, alguns profissionais da indústria farmacêutica não estão esperando autorização dos governos para combinar duas vacinas diferentes contra a covid-19. Embora pesquisas sobre os efeitos de tomar vacinas distintas ainda estejam em andamento, alguns especialistas que estudaram o método estão combinando doses para obter, segundo eles, maior proteção, destacou o Valor Econômico neste sábado (12). Pelo menos um veterano do setor até atravessou a fronteira para fazer o experimento. “Se você preparar o sistema imunológico com uma determinada tecnologia, obterá uma resposta mais ampla, mais elevada e mais duradoura se reforçá-lo com algo visando o mesmo alvo, mas com base em uma tecnologia diferente”, disse Pierre Morgon, que faz parte do conselho de empresas como Vaccitech e Univercells. Depois de anos lendo pesquisas sobre a mistura de vacinas – conhecido como reforço de vacinação heteróloga -, Morgon concluiu que receber uma dose da vacina da AstraZeneca, que usa um vírus inofensivo como vetor, e outra com a nova tecnologia de RNA mensageiro da Moderna ou da Pfizer, resultaria em uma resposta mais poderosa. Ampliar a imunidade tornou-se especialmente importante, pois variantes mostram certa capacidade de driblar as vacinas. Em abril, Morgon dirigiu algumas horas de sua casa em Lausanne, na Suíça, até uma farmácia em Lyon, na França, para uma tomar a vacina da Astra. Quase oito semanas depois, tomou uma dose da vacina da Moderna na Suíça. Karine Van Hasbrouck, ex-executiva de marketing da farmacêutica francesa Sanofi, recebeu a mesma combinação de Morgon que, segundo ela, “parece muito promissora em termos de resposta imunológica”, escreveu no LinkedIn. Van Hasbrouck não quis fazer mais comentários. Por enquanto, tomar doses de vacinas diferentes provavelmente continuará sendo exceção, e não a regra, mesmo que alguns países explorem essa abordagem. A maioria das vacinas atualmente em uso requer duas doses do mesmo produto. França, Espanha, Finlândia, Suécia, Noruega e Canadá estão misturando vacinas ou estudam a opção para algumas faixas etárias que já receberam a primeira dose da Astra, por causa da preocupação com os raros casos de trombose associados a essa vacina.

Comissão aprova projeto com regras de descarte de medicamentos

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços aprovou projeto com regras para o descarte de medicamentos e outros produtos destinados à saúde de uso humano ou veterinário. De acordo com a Agência Câmara o objetivo é evitar que o descarte seja feito no lixo comum ou na rede pública de esgoto, com prejuízos para a saúde e o meio ambiente. Pelo texto, fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de medicamentos deverão adotar a logística reversa, pelo qual o próprio setor empresarial se ocupa do retorno dos produtos descartados pelos consumidores. Farmácias, laboratórios e centros de pesquisas laboratoriais deverão disponibilizar aos cidadãos um local específico para o descarte de medicamentos. Hoje a logística reversa só é aplicada para agrotóxicos, pilhas e baterias, pneus, óleos lubrificantes, lâmpadas e produtos eletroeletrônicos. O texto aprovado é o substitutivo do deputado Geninho Zuliani (DEM-SP) ao Projeto de Lei 11186/18, do deputado Felipe Carreras (PSB-PE), e seis apensados. O substitutivo aproveita pontos dos projetos e de emendas apresentadas na comissão. A nova versão altera a Lei de Resíduos Sólidos. Zuliani defendeu a aprovação do texto. Segundo ele, a lei falhou ao não prever a logística reversa de medicamentos. O deputado afirmou que as substâncias usadas nos produtos de saúde afetam o meio ambiente no longo prazo. O substitutivo prevê outras regras. Por exemplo, os consumidores deverão efetuar a devolução após o uso, aos comerciantes ou distribuidores, dos produtos e das embalagens dos medicamentos. As bulas deverão conter informações sobre a destinação final ambientalmente adequada de todos os componentes integrantes do produto comercializado, incluindo as embalagens. Os fabricantes e importadores ficam obrigados a efetuar, por meios próprios ou por contratos de terceiros, o transporte dos produtos descartados pelos consumidores até os locais de tratamento final. O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado agora pelas comissões de Seguridade Social e Família; Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; e Constituição e Justiça e de Cidadania.

Bayer aguarda aval para medicamento de hemofilia

A farmacêutica Bayer está perto de incorporar no Sistema Único de Saúde (SUS) um novo medicamento para hemofilia A, informou o Valor Econômico nesta segunda-feira (14). O produto está em consulta pública na Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias do SUS, o Conitec, que é a última etapa do processo para o remédio ser oferecido aos pacientes tratados pelo sistema público. O presidente da divisão farmacêutica da Bayer Farma no Brasil, Adib Jacob, disse que com a nova droga a companhia entra nesse mercado no país. O tratamento para hemofilia A, segundo ele, é feito substancialmente pelo SUS, assim como outras doenças, a exemplo da Aids. E esse medicamento, acrescentou o executivo, traz uma inovação em relação aos usados atualmente pelo Ministério da Saúde. Jacob explicou que o remédio da Bayer traz um fator de reposição de longa duração, uma alternativa que reduz a quantidade de infusões feitas no paciente por semana. Na droga usada hoje no SUS, essas aplicações são realizadas quase que diariamente, segundo o executivo. Hoje, no país existem 13 mil pacientes com hemofilia A em tratamento pelo sistema público. “Esse medicamento já é usado nos Estados Unidos e na Europa e tem um perfil farmacocinético mais evoluído, com uma forma de absorção mais lenta”, acrescentou. No Brasil, o medicamento foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) há pelo menos um ano e desde o final de 2020 está na Conitec. A expectativa da Bayer é que a aprovação para a incorporação ao SUS saia até o próximo dia 15. “Essa alternativa tem o potencial de contribuir não só com a comodidade e qualidade de vida dos pacientes, como também de gerar uma economia importante para os cofres públicos. Isso porque o custo desse tratamento é menor em comparação ao que é oferecido pelo SUS atualmente”, ressaltou Jacob. O executivo afirmou, ainda, que esse medicamento para hemofilia A é um dos 10 lançamentos inovadores que a companhia está trazendo para o mercado brasileiro até 2022.

SAÚDE NA IMPRENSA

Agência Câmara – Congresso se ilumina de vermelho em apoio ao Dia Mundial do Doador de Sangue 
Agência Câmara – Comissão promove seminário sobre violência contra idosos 
Agência Câmara – Comissão debate projeto sobre imunidade tributária para entidades beneficentes 
Agência Câmara – Comissão discute mobilidade urbana e acessibilidade para os idosos 
Agência Câmara – Comissão aprova projeto com regras de descarte de medicamentos  
Agência Câmara – Audiência discute desenvolvimento de vacinas nacionais contra a Covid-19 
Agência Câmara – “Síndrome da gaiola” é tema de audiência na Comissão Externa da Covid-19 
Agência Senado – Vacinação, investimento em pesquisa e retorno às aulas são o caminho no pós-pandemia, dizem especialistas 
Agência Senado – CPI da Pandemia aprofunda investigação sobre defensores da cloroquina 
Agência Senado – Ao buscar ‘imunidade de rebanho’, governo trata população como animais, diz Maierovitch na CPI 
Agência Senado – Sobram estudos mostrando que kit-covid não funciona’, diz Natalia Pasternak à CPI 
Agência Senado – Randolfe sugere que CPI da Pandemia comece a definir investigados 
Agência Senado – Ex-secretário de Saúde do estado do Amazonas depõe terça-feira na CPI da Pandemia 
Anvisa – Anvisa e Janssen se reúnem para discutir a extensão do prazo de validade da vacina contra a Covid-19 
Anvisa – ROP 12/2021 será antecipada para dia 22/6 
Anvisa – Anvisa solicita dados sobre medicamentos e vacinas contra Covid-19 
ANS – Audiência Pública sobre rede hospitalar reúne 200 participantes 
MDH – Webinário chama atenção para Cardiopatia Congênita 
Agência Saúde – AVISO DE PAUTA | MINISTÉRIO DA SAÚDE 
Agência Saúde – Queiroga reforça importância do pré-natal e garantia do acesso a tratamentos de doenças cardiovasculares congênitas 
Agência Saúde – Saúde recebe mais 2,7 milhões de doses da vacina da AstraZeneca/Fiocruz 
Agência Saúde – Chega ao Brasil novo lote de IFA suficiente para produzir 6 milhões de doses da AstraZeneca/Fiocruz 
Agência Saúde – Vacina Covid-19 da Janssen chega ao Brasil na próxima semana 
STF – Historiadora traça paralelo entre a gripe espanhola e a pandemia de Covid-19 em evento do STF 
Agência Brasil – Agência Brasil explica: sintomas e tratamentos do câncer de ovário 
Agência Brasil – Rio inicia campanha para aumentar doação de sangue 
Agência Brasil – Fiocruz: produção e controle de qualidade do IFA levam 90 dias 
Agência Brasil – Fiocruz ajuda mães de crianças com necessidades especiais 
Agência Brasil – Covid-19: defensoria orienta sobre registro de órfãos de mãe solteira 
Agência Brasil – Butantan deve iniciar nesta semana pré-cadastro para teste da ButanVac 
Folha de S.Paulo – Funcionários de hospital nos EUA perdem ação na Justiça e serão obrigados a se vacinar  
Folha de S.Paulo – Butantan volta a ganhar ritmo e entrega mais 1 milhão de doses da Coronavac ao Ministério da Saúde  
Folha de S.Paulo – EUA e Israel investigam se vacinas anti-Covid da Pfizer e da Moderna causam inflamação leve no coração  
Folha de S.Paulo – Estudo testa cogumelos ‘mágicos’ contra desespero na linha de frente da Covid 
Folha de S.Paulo – Tratamento contra Alzheimer evoluiu de sanar sintomas a evitar progressão da doença  
O Estado de S.Paulo – Vacina da Novavax tem mais de 90% de eficácia contra variantes do coronavírus, diz farmacêutica 
O Estado de S.Paulo – Teses do STJ e a extensão de planos de saúde a aposentados 
O Estado de S.Paulo – Mães lactantes se unem para reivindicar priorização na fila da vacina 
O Estado de S.Paulo – Cepa indiana pode atrasar planos de reabertura da Inglaterra 
O Estado de S.Paulo – Alemanha avança para suspensão do uso obrigatório de máscara 
O Estado de S.Paulo – Exames e procedimentos: a rotina do paciente com câncer em ritmo de forró 
O Estado de S.Paulo – Inteligência Artificial na saúde: tempo de resposta e atuação mais rápidos 
O Estado de S.Paulo – Graças aos SUS e aos planos de saúde privados, brasileiros atravessam este momento com menos danos 
O Estado de S.Paulo – Terapia online estoura no divã da pandemia e incrementa startups 
O Estado de S.Paulo – Médicos chineses alertam para piora rápida de infectados
O Estado de S.Paulo – Ministros do Supremo negam suspender quebra de sigilo de Pazuello, Ernesto Araújo e ‘capitã cloroquina’ na CPI da Covid 
O Estado de S.Paulo – Especialistas dizem à CPI que incentivo a medicamentos sem eficácia agravaram pandemia 
O Estado de S.Paulo – Janssen suspende envio de 3 milhões de doses de vacina contra a covid ao Brasil previsto para terça 
O Globo – Por que pessoas com duas doses da vacina da Covid-19 ainda podem contrair a doença?  
O Globo – Governo estuda redução no valor das mensalidades dos planos de saúde 
O Globo – Ministro da Saúde minimiza casos positivos na seleção da Venezuela: ‘Faz parte’  
TJDFT – Covid-19: plano de saúde é condenado a indenizar paciente após negar internação em UTI 
G1 – Juíza rejeita ação contra vacina contra Covid de funcionários de hospital nos EUA 
G1 – Covid: 3 critérios para mundo voltar a abrir portas para turistas do Brasil 
G1 – Vacina da Novavax tem eficácia de 90% contra Covid-19, aponta estudo preliminar  
G1 – Butantan entrega mais 1 milhão de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde nesta segunda 
G1 – Como trabalhar demais está nos matando (literalmente) 
G1 – ‘Governo não aprendeu nada com a pandemia’: pesquisador alerta sobre efeitos da penúria na ciência brasileira 
G1 – G7 adota plano para distribuir 1 bilhão de doses de vacinas contra Covid a países mais pobres até 2022 
G1 – Prazo para aplicação da vacina da Janssen pode ser estendido para 8 de agosto 
G1 – Patentes de vacinas: que lições tiramos das experiências passadas na Aids e na gripe 
Correio Braziliense – Covid-19: Butantan entrega mais um milhão de doses de vacina ao PNI 
Correio Braziliense – Rio de Janeiro quer dobrar banco de DNA de familiares de desaparecidos 
Correio Braziliense – ‘Governo não aprendeu nada com a pandemia’: pesquisador alerta sobre efeitos da penúria na ciência brasileira 
Correio Braziliense – Validade da Janssen está nas mãos da Anvisa; decisão deve ocorrer esta semana 
Valor Econômico – Barroso suspende quebras de sigilos de servidores do Ministério da Saúde aprovadas pela CPI da Covid 
Valor Econômico – Hapvida e Prevent Senior são notificadas por receitarem cloroquina a pacientes com covid 
Valor Econômico – Qual a taxa de imunização necessária para conter a cadeia de transmissão da covid-19? 
Valor Econômico – Bayer aguarda aval para medicamento de hemofilia 
Valor Econômico – Sem bloqueio, fundo tecnológico vai quase quintuplicar em quatro anos 
Valor Econômico – Ministro do STF mantém quebra de sigilo de Pazuello e Mayra Pinheiro na CPI da Covid 
Valor Econômico – Executivos de farmacêuticas misturam vacinas para maior proteção 
Valor Econômico – AGU entra no STF para anular quebra de sigilo de Pazuello na CPI da Covid 
Valor Econômico – G7 anuncia doação de 1 bilhão de doses de vacinas contra covid-19 até 2022 
Alesp – Campanha Junho Vermelho busca conscientizar população para a importância da doação de sangue 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »