Anuário traz dados sobre conformidade de produtos de origem animal

Home/Informativo/Anuário traz dados sobre conformidade de produtos de origem animal

Análises técnicas de produtos de origem animal, realizadas por diversos programas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), mostraram a conformidade da maioria dos produtos fiscalizados. Os dados estão no Anuário dos Programas de Controle de Alimentos de Origem Animal 2020, que traz as informações dos resultados das análises realizadas ao longo do ano de 2019, decorrentes da coleta de amostras de produtos de origem animal. Os dados foram compilados pelo Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa). Por exemplo, para o Programa de Avaliação de Conformidade de Produtos de Origem Animal Comestíveis (PACPOA), foram analisadas 8.222 amostras de produtos de origem animal, alcançando o índice de conformidade 85,87%. No Programa Nacional de Controle de Patógenos (PNCP), as análises microbiológicas de Listeria monocytogenes (microrganismo nocivo à saúde humana) atingiram a conformidade de 99,04% em produtos de origem animal prontos para o consumo. As análises realizadas também atendem outros programas como o do controle de resíduos e contaminantes (PNCRC), além de regime de alerta de importação (RAI) e das ações de combate à fraude. “O anuário permite informar a toda sociedade civil, desde os consumidores à comunidade científica, incluindo produtores e o setor fiscalizado, bem como as autoridades sanitárias dos países que importam os produtos brasileiros, a situação da inocuidade dos produtos de origem animal no Brasil, com a indicação da prevalência nacional de patógenos, seu índice de conformidade físico-químico e microbiológico e o monitoramento do controle de resíduos e contaminantes em toda a cadeia”, destaca a diretora do Dipoa, Ana Lúcia Viana. Em 2019, a área de produtos destinados a Alimentação Animal passou a fazer parte das atribuições do Dipoa, e com isso, esta é a primeira vez que o anuário apresenta a verificação oficial de dioxinas em produtos para alimentação animal e a verificação oficial de ingredientes de origem animal na alimentação de ruminantes. Segundo Ana Lúcia, “as informações permitem ao Mapa desenvolver e implementar políticas públicas, tomar decisões e aperfeiçoar o processo de regulamentação com maior transparência e segurança para a sociedade”. O Anuário dos Programas de Controle de Alimentos de Origem Animal é resultado do trabalho realizado por servidores públicos que atuam no Serviço de Inspeção Federal (SIF), na área de produtos destinados à Alimentação Animal, na Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) e nos Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária (LFDA), vinculados à Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa.

Guia para avaliação de produtos veterinários é lançado pelo CRMV-SP

O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP) lança o Guia de Boas Práticas Clínicas para Avaliação de Produtos Veterinários. Trata-se de um material inédito no Brasil, que visa contribuir para com a eficiência na realização de estudos clínicos, destacou o portal AgroLink nesta quinta-feira (18). “Embora tenhamos muitas normas em nossa legislação, até então, não contávamos com conteúdo deste tipo no País, apenas com os guias internacionais”, ressalta a médica-veterinária Greyce Balthazar Lousana, presidente da Comissão Técnica de Pesquisa Clínica Veterinária do Regional (CTPCV/CRMV-SP). Com 29 páginas, o conteúdo, lançado durante o XXII Encontro Nacional de Profissionais em Pesquisa Clínica, como parte da Semana Municipal de Divulgação da Pesquisa Clínica, traz orientações estratégicas, elaboradas pelos integrantes da Comissão após muitas reuniões de alinhamento sobre o assunto, estudos e participação em eventos da área. Para o presidente do CRMV-SP, o médico-veterinário Mário Eduardo Pulga, materiais como o novo guia vão na direção de um dos principais focos de empenho do Conselho: a orientação dos colegas para a excelência dos serviços na Medicina Veterinária. “Com o guia, nosso objetivo é agregar à classe, em especial aos que exercem a responsabilidade técnica em Pesquisa Clínica Veterinária.”  O médico-veterinário Marcos Vinícius de S. Leandro Júnior, coordenador de Registro e Fiscalização de Produtos de Uso Veterinário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), elogiou a criação do material e enfatizou a contribuição do conteúdo. “Com certeza vai ajudar muito nos diálogos do Mapa, que tem trabalhado com foco na Saúde Única”, afirmou. O documento elenca diretrizes não apenas para o cumprimento de regras municipais, estaduais e federais. Os protocolos sugeridos focam o bem-estar animal, a conduta das equipes envolvidas, os cuidados com os ambientes, bem como o controle de resíduos e a sustentabilidade. De acordo com a presidente da CTPCV/CRMV-SP, outro papel que o guia cumpre é o de contextualização quanto à área de atuação da Pesquisa Clínica Veterinária. Isso porque, muitas vezes, os profissionais que estão em outras pontas da cadeia que resulta nos produtos de origem animal também têm dúvidas. Neste sentido, este segmento da Medicina Veterinária tem participação fundamental, também, para a promoção da Saúde Única e, ainda, para o sucesso econômico do País e sua reputação internacional enquanto mantenedor de uma das maiores produções de alimentos de origem animal do mundo. Acesse o guia aqui.

Abates de frangos e suínos bateram recorde em 2020, aponta IBGE

Depois de três anos seguidos de crescimento, os abates de bovinos caíram 8,5% no país em 2020, para 29,7 milhões de cabeças, confirmou pesquisa divulgada na manhã desta quinta-feira (18) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a pesquisa, 24 das 27 unidades da federação registraram redução nos abates, confirmando o ciclo de baixa da pecuária bovina. De acordo com o Valor Econômico as quedas mais expressivas foram em Mato Grosso (573,6 mil cabeças a menos) e Mato Grosso do Sul (346,1 mil). Mesmo com as retrações, Mato Grosso se manteve como o Estado com maior parcela nos abates nacionais, com 17,1% do total, seguido por Mato Grosso do Sul (10,9%). O IBGE destacou que, ao longo de 2020, foi constatado um crescimento na proporção de machos abatidos em relação às fêmeas, além de valorizações recorde do bezerro e da arroba bovina. Apesar da redução dos abates, as exportações de carne bovina in natura alcançaram máxima histórica em 2020, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia. O IBGE divulgou também que os curtumes declararam ter recebido 30,8 milhões de peças inteiras de couro cru no ano passado, queda de 7,4% frente a 2019. No caso das aquisições de leite cru realizadas por estabelecimentos sob inspeção sanitária (federal, estadual ou municipal), houve aumento de 2,1% em 2020 na comparação com 2019, para o recorde de 25,5 bilhões de litros. Foi o quarto ano seguido de avanço. Ainda conforme as pesquisas do IBGE, os abates de frangos atingiram 6 bilhões de cabeças em 2020 no Brasil, 3,3% mais que em 2019, ou 190,8 milhões de cabeças. Foi o segundo ano seguido de alta, e o total alcançado representou um novo recorde histórico. Ainda na avicultura, o IBGE também informou que a produção de ovos de galinha chegou a 3,96 bilhões de dúzias em 2020, em alta 3% ante 2019 e também um novo recorde. O resultado influenciado pela recessão provocada pela pandemia, já que o ovo é uma proteína mais acessível que as carnes. As granjas enfrentaram, no entanto, “incremento significativo nos custos de produção”, segundo o instituto. Os abates de suínos, finalmente, também cresceram no ano passado, 6,4%, e somaram 49,3 milhões de cabeças, outro recorde. Nessa frente, há incrementos sucessivos desde 2005.

Mastite pode reduzir produção leiteira em 40%

A produção leiteira pode sofrer até 40% de redução com a incidência de mastite nas vacas. Esta é uma das doenças mais preocupantes dessa atividade e sua incidência é alta no verão, informou o portal AgroLink. “O clima quente e úmido dessa época do ano acaba sendo mais propício à proliferação de bactérias que causam a inflamação da mama dos bovinos”, explica Antonio Coutinho, gerente de produtos de animais de produção da Vetoquinol Saúde Animal. Vacas acometidas por esse problema têm o leite descartado, o que acarreta graves prejuízos não só ao bem-estar dos animais mas também à sustentabilidade econômica da fazenda. “Há mastite clínica e subclínica. Na clínica, o produtor consegue visualizar alterações no leite, além de inchaços e vermelhidão nos tetos. Já na subclínica, as alterações nas glândulas não são visíveis, possibilitando o espalhamento rápido pelo rebanho”, informa Coutinho. O especialista informa que a mastite clínica pode ser diagnosticada em três diferentes graus. “O primeiro grau provoca apenas alterações no leite e, na maioria dos casos, pode ser tratado com medicamentos à base do princípio ativo ceftiofur. No grau 2, percebe-se alterações no leite e inflamação nos tetos. Por fim, no terceiro grau, podemos observar, além dos sinais anteriores, a prostração do animal. Nesses dois estágios mais avançados, o tratamento deve associar anti-inflamatórios e antibióticos”, reforça Antonio Coutinho. É possível diminuir a incidência da mastite no rebanho leiteiro com cuidados preventivos, como o manejo adequado de qualidade e a implementação de protocolos sanitários. Entretanto, com o período chuvoso, quando o animal tem contato com a terra molhada ou ambientes mais úmidos, é preciso redobrar a atenção, já que essa simples ação pode favorecer a instalação da doença a partir das bactérias presentes no local.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Pássaro em risco de extinção ‘esquece’ como cantar

G1 – Fiscalização encontra aves silvestres mantidas irregularmente em cativeiro e aplica R$ 6,5 mil em multas

G1 – Flagrante de pesca em local proibido no Rio Laranja Doce provoca multas de mais de R$ 5 mil

G1 – Polícia Ambiental apreende mais de 1,8 mil metros de redes armadas irregularmente nos rios do Peixe e Paranapanema

G1 – Como caçadores usam tortura sonora para encurralar e matar golfinhos

G1 – Cone chinês pode auxiliar animais em casos de otites e outros problemas

G1 – Angra dos Reis realiza castração gratuita de animais

Alesp – Governo de SP zera o ICMS para o leite e reduz o imposto para a carne

Valor Econômico – Abates de frangos e suínos bateram recorde em 2020, aponta IBGE

Valor Econômico – Preço do leite ao produtor deve seguir em alta nos próximos meses, diz Embrapa

Valor Econômico – Preço do leitão na China sobe e bate recorde

Embrapa – Live abordará perspectivas para a piscicultura nacional

CNA – Produtora de leite investe nos derivados e inaugura agroindústria em Querência

CNA – PNEFA: Plano Estratégico projeta MS para status livre de febre aftosa sem vacinação

CNA – Senar-MT disponibiliza dois novos treinamentos sobre carnes bovinas

CNA – Senar Goiás abre credenciamento para técnicos de campo de Apicultura, Bovinocultura de Leite e Corte

CNA – Paraná amplia liderança como maior produtor de peixes de cultivo do país

SBA – Alta nos insumos e preço recorde do boi magro desafiam confinador, diz Cepea

SBA – Cotação do boi gordo sobe para R$ 307/@ nesta quinta-feira (18)

SBA – Número de abate de bovinos em 2020 cai 8,5% após três anos de crescimento

SBA – Canal do Boi transmite “Dia de Campo Cavalo Crioulo” na próxima semana

AgroLink – Mastite pode reduzir produção leiteira em 40%

AgroLink – Guia para avaliação de produtos veterinários é lançado pelo CRMV-SP

AgroLink – Brasileira adquire direitos de produto para reprodução

AgroLink – Alta nos preços dos grãos desafia confinador

AgroLink – PNEFA: Plano Estratégico projeta MS para status livre de febre aftosa sem vacinação

AgroLink – Queda nos preços dos suínos

AgroLink – Fazenda da Bézinha comemora 25 anos em leilão especial

AgroLink – Preços internacionais do leite estão bastante elevados

AgroLink – Ovos: preço médio de março já é inferior ao de fevereiro

AgroLink – Senar-MT disponibiliza dois novos treinamentos sobre carnes bovinas

AgroLink – A R$4,89/kg, custo de produção do frango em fevereiro sofreu aumento anual de quase 60%

AgroLink – TO integra grupo para consolidação do setor aquícola

AgroLink – Negócios em ritmo lento no mercado do boi gordo

AgroLink – Com forte inflação da carne, ovo ganha destaque na mesa do cearense

AgroLink – Algoritmo identifica bovinos individualmente no campo por meio de imagens

AgroLink – Criação de porcos e aves está presente na maior parte de estabelecimentos agrícolas catarinenses

Anda – Cães explorados por empresa de segurança passam fome e são resgatados no ES

Anda – ANDA contesta em ação judicial desmatamento em área de preservação permanente

Anda – Cães magros e repletos de carrapatos são salvos e tutora é multada em R$ 6 mil

Anda – Ibama identifica responsáveis pela morte de tubarão torturado em praia no CE

Anda – Eurodeputado Francisco Guerreiro e deputado David Miranda vão debater desmonte ambiental no Brasil

Anda – Enfermeira que mora na Itália procura por cachorro perdido no MT

Anda – Ouvidos eletrônicos captam caçadores em importante habitat de onças

Anda – Porco explorado para venda vive em santuário após ser descartado por ter crescido

Anda – Cachorro é baleado no olho e agressor é preso em flagrante por maus-tratos

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »