ANP AUTORIZA OPERAÇÕES DA PETROBRAS PARA IMPORTAÇÃO DE GASOLINA DE AVIAÇÃO

//ANP AUTORIZA OPERAÇÕES DA PETROBRAS PARA IMPORTAÇÃO DE GASOLINA DE AVIAÇÃO
O portal do G1 informou que a Agência Nacional do Petróleo (ANP) concedeu autorização excepcional à Petrobras para movimentação de gasolina de aviação em instalações no Porto de Santos (SP), em meio a importações do combustível pela estatal para garantir o fornecimento ao mercado interno, segundo despacho no Diário Oficial da União desta quinta-feira (31). De acordo com o despacho da ANP, a Petrobras poderá movimentar as cargas de gasolina de aviação em instalações da Granel Química entre 1º de fevereiro e 31 de julho de 2019. A paralisação na unidade de produção do combustível da RPBC deve durar até junho de 2019. Procurada, a Petrobras disse em nota que está realizando importações para atender aos clientes, que foram previamente avisados, e que há estoque do produto em Santos para pronta entrega às distribuidoras, que revendem a gasolina de aviação aos consumidores finais.

Produtores de arroz estão sem acesso a recursos do pré-custeio

Prejudicados pelo excesso de chuva no mês de janeiro, principalmente na Campanha e na Fronteira Oeste, os produtores de arroz ganharam nova dor de cabeça. De acordo com o jornal Zero Hora, a Federação das Associações de Arrozeiros do Estado (Federarroz) reclama que os agricultores não estão conseguindo acessar recursos do pré-custeio — financiamento normalmente usado para dar fôlego ao produtor e para reduzir a necessidade de venda do cereal logo após a colheita. O Banco do Brasil (BB), principal financiador de crédito agrícola no país, confirma que por enquanto não há recursos disponíveis voltados ao pré-custeio. Segundo a instituição financeira, que responde por mais de 60% das operações do setor no Estado, a indisponibilidade de verbas nessa linha é para todas as culturas. A expectativa do BB é de que haja liberação nos próximos dias.

Exportações brasileiras de soja e milho mantêm ritmo forte

O Valor Econômico destacou que os embarques brasileiros de soja mantiveram o ritmo forte e somaram 2,3 milhões de toneladas em janeiro, 56% mais que no mesmo mês de 2018, conforme levantamento da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec). Ocorre que a China, que lidera as importações globais da oleaginosa, continua a medir forças com os americanos na área comercial e, com isso, segue a privilegiar a soja brasileira, o que tem motivado a redução de estoques. Segundo a Anec, as vendas ao exterior deverão se intensificar em fevereiro, já com o crescimento da oferta que está saindo dos campos nesta safra 2018/19. Já estão programadas para embarque cerca de 6 milhões de toneladas. Ainda conforme a entidade, as exportações brasileiras de milho também foram expressivas em janeiro. Alcançaram 3 milhões de toneladas, volume 30% superior ao do mesmo mês do ano passado. Neste caso, contudo, a tendência é de desaceleração, uma vez que as exportações brasileiras do cereal são alimentadas pela colheita da segunda safra, que começa a entrar no mercado com mais força no início do segundo semestre.

Projeto proíbe destruição de bens apreendidos em crimes ambientais

O senador Valdir Raupp (MDB-RO) apresentou o Projeto de Lei do Senado 361/2018, que altera a Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605, de 1998) para organizar melhor os dispositivos que tratam da apreensão, das medidas administrativas acautelatórias e da destinação de bens. De acordo com a Agência Senado, a matéria aguarda designação de relator na Comissão de Meio Ambiente (CMA). O projeto proíbe a destruição dos veículos utilizados na infração ou crime ambiental e determina a destinação imediata de animais e bens perecíveis apreendidos, regulando também a destinação de demais bens e valores apreendidos. O veículo só poderá ser destruído quando for impossível seu deslocamento até depósito ou se implicar “riscos significativos ao meio ambiente, à segurança da população ou aos agentes públicos envolvidos na fiscalização”. Atualmente, afirma Raupp, veículos de todo tipo apreendidos em crimes ambientais podem ser destruídos (geralmente queimados) de maneira imediata pelos fiscais. “Assim, inúmeros veículos que poderiam ser apreendidos e destinados a prefeituras e outros órgãos públicos, em benefício da população, acabam sendo queimados pelos fiscais, tornando-se lixo e poluindo o próprio meio ambiente que a legislação deveria proteger”, informa o senador.

NA IMPRENSA

Senado Federal – Mudanças do governo no meio ambiente serão analisadas pelo novo Congresso

Câmara dos Deputados – Comissão externa visita Brumadinho na quarta-feira

Senado Federal – Projeto proíbe destruição de bens apreendidos em crimes ambientais

Senado Federal – Preservação da biodiversidade pode levar a novo ciclo de industrialização, dizem especialistas

Senado Federal – Fiscalização de barragens está na agenda da nova legislatura

Câmara dos Deputados – Projeto transfere recursos do Fundo Penitenciário para construção de colônias agrícolas e industriais

Mapa – Realocação de recursos garante mais R$ 6 bi ao Pronaf e Pronamp

Mapa – Inscrições para feiras internacionais abriram nesta quinta-feira

Embrapa – Embrapa lança método de avaliação de potássio para soja e cultivar de feijão no Show Rural

Embrapa – Finalistas do Pontes para Inovação apresentam soluções tecnológicas

Correio Braziliense – CMN muda regras e amplia recursos de financiamentos para produtores rurais

Correio Braziliense – Petroleiros protestam na Replan e alertam para possíveis acidentes

Zero Hora – Produtores de arroz estão sem acesso a recursos do pré-custeio

Zero Hora – Rastreabilidade de hortifrútis deverá ter prazo estendido

Valor Econômico – Exportações brasileiras de soja e milho mantêm ritmo forte

Valor Econômico – Petrobras reduz preço de gasolina e mantém o do diesel

Valor Econômico – Petrobras inicia produção da plataforma P-67 no campo de Lula

Valor Econômico – Gol conclui recompra de US$ 13,4 milhões em bônus para 2022

Valor Econômico – México suspende compras de petróleo leve dos EUA

Valor Econômico – Avianca Brasil pede mais prazo na Justiça

Valor Econômico – Petrobras tem cenário desafiador para recuperar reservas após nova queda

Valor Econômico – Zurich e IG4 vão aumentar proposta por Viracopos

Valor Econômico –  Clima põe produtores de café em alerta

Valor Econômico – Oferta em alta derruba preço do suco de laranja

Valor Econômico – Contrato de seguro da Vale não incluiria barragem inativa

Valor Econômico – A permanência no Acordo de Paris

Valor Econômico – Pequenos e médios produtores terão mais R$ 6 bi em crédito rural

Valor Econômico – Avianca não fechou acordo com arrendadores de aviões, dizem fontes

Folha de S. Paulo – Presidente do ICMBio exonera chefe do parque de Fernando de Noronha

Mais Soja –  Argentina: Como manejar as áreas de arroz afetadas pelas inundações

Mais Soja – Massey Ferguson participa da Abertura Oficial da Colheita de Milho em Santo Ângelo

Mais Soja – Valtra apresenta máquinas inéditas no Show Rural Coopavel 2019

Mais Soja – Inverno de 2019 terá novos trigos para pastejo e silagem

Mais Soja – O Milho Voluntário RR® Altera o Metabolismo do Estresse na Soja?

Mais Soja –  Europa frente ao controle biológico

Mais Soja – Brasil poderá assumir a liderança mundial na produção da Soja

Mais Soja – Emater/RS – Lavouras em geral sofreram com a falta de luminosidade durante as chuvas

Mais Soja – Qualidade fitossanitária de grãos de milho sob pressão de inóculo de Fusarium verticillioides e Stenocarpella spp.: O que você enxerga, o que acontece?

__________________________________________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.