ANAC autoriza teste para entrega de produtos com drones

//ANAC autoriza teste para entrega de produtos com drones
A ANAC divulgou nesta segunda-feira (10) que, na última semana, emitiu à Speedbird o Certificado de Autorização de Voo Experimental (CAVE) para que a empresa inicie entrega de produtos utilizando aeronaves não tripuladas, popularmente conhecidas como drones. Esta é a primeira certificação do tipo emitida pela Agência e permite que o equipamento da empresa possa ser utilizado no serviço de delivery, por exemplo. Em caráter experimental, a autorização é válida até agosto de 2021 e permite testes além da linha de visada visual (beyond visual line of sight – BVLOS), quando o operador não precisa ter contato visual para operar o drone. O processo de CAVE foi conduzido pela AL Drones, especialista em projeto e certificação de drones. Há pouco mais de três anos, quando foram publicadas as normas para as operações de aeronaves não tripuladas, os equipamentos vinham sendo utilizados nas mais diversas áreas, seja para uso profissional ou recreativo. Mas, com a emissão do CAVE, a exploração do equipamento para novas atividades está cada vez mais próxima. Para realizar os voos experimentais, o operador da aeronave de modelo DLV-1, que ganhou a matrícula PP-ZSL, precisa seguir as regras previstas no Regulamento Brasileiro de Aviação Civil Especial (RBAC-E) nº 94, da ANAC, e os normativos de tráfego aéreo, do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). Para o superintendente de Aeronavegabilidade da ANAC, Roberto Honorato, a autorização concedida pela Agência traz uma importância muito significativa para o setor e para o desenvolvimento comercial de novas oportunidades de mercado. O caminho da apresentação do modelo até a concessão do certificado durou pouco mais de um ano. O primeiro contato da empresa com a ANAC aconteceu em maio de 2019, com a apresentação do equipamento e do tipo de operação pretendida. Em setembro do mesmo ano, a Agência recebeu o pedido de emissão do certificado que autoriza as operações. Para que ele pudesse ser emitido, a Speedbird precisou demonstrar que a tecnologia atendia as normas vigentes, principalmente no que diz respeito aos critérios de segurança. O primeiro teste prático com acompanhamento da ANAC foi realizado em janeiro deste ano, com a demonstração da atividade planejada e certas características de segurança da aeronave. A empresa precisou realizar alguns ajustes para demostrar que estava apta a receber o certificado. Um novo teste supervisionado por técnicos da ANAC foi conduzido no mês passado. Com o cumprimento de todos os requisitos mínimos exigidos, a Agência concedeu a autorização para voos experimentais ao operador. O drone desenvolvido e autorizado para operações de transporte de carga é o de modelo DLV-1. A aeronave pesa aproximadamente 9 kg e pode transportar produtos de até 2kg, com velocidade de 32km/h. Inicialmente, estão autorizadas operações somente durante o dia e a uma distância máxima de 2,5 km do ponto de decolagem. Essa autorização possibilita que o voo possa ser realizado além da linha de visada visual, ou seja, o piloto remoto do drone não precisará ter contato visual com a aeronave durante todo o percurso. Para falar sobre o futuro da regulamentação de drones no país e desta primeira autorização, técnicos da Agência participarão do webinar: Novas perspectivas para a regulação de drones. O evento foi promovido pela MundoGeo, empresa promotora da Feira DroneShow, nesta terça-feira (11) a partir das 14h.

Agro manteve prateleiras cheias e exportações brasileiras na pandemia, diz ministro Paulo Guedes

A ministra Tereza Cristina e o ministro da Economia, Paulo Guedes, participaram juntos de live sobre o setor leiteiro. Na conferência virtual, Paulo Guedes agradeceu aos produtores rurais pelo extraordinário trabalho feito durante a pandemia do coronavírus. “O Brasil continuou se alimentando, continuou funcionando. Não adiantava só soltar o auxílio emergencial de um lado se os recursos quando chegassem às mãos da população, as prateleiras estivessem vazias nos supermercados. Segundo o Mapa o pessoal do campo que manteve as prateleiras cheias”, disse ao participar da live nesta segunda-feira (10) do Fórum de Incentivo à Cadeia Leiteira, junto com a ministra Tereza Cristina e integrantes da equipe econômica. De acordo com o ministro, graças ao setor agropecuário, as exportações brasileiras praticamente não foram afetadas nos últimos meses. “Caíram as exportações para a Europa, para os Estados Unidos, para a Argentina, mas foram remanejadas para a Ásia, para a China. De forma que as exportações do primeiro semestre estão praticamente no mesmo patamar do primeiro semestre do ano passado”. “O Brasil mais do que nunca depende do agro para ter sucesso”, ressaltou Guedes.  A live foi organizada pela Frente Parlamentar Agropecuária (FPA) e conduzida pela deputada federal Aline Sleutjes. O ministro Paulo Guedes disse que a Reforma Tributária, proposta pelo governo, irá simplificar o pagamento de impostos no Brasil, além de facilitar as exportações. O governo prevê a unificação do Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep) e da Contribuição sobre o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), que serão substituídos pela Contribuição Social sobre Operações com Bens e Serviços (CBS), com alíquota única. “Vai ser um sistema muito mais simples, vai facilitar muito as exportações, garante a compensação instantânea dos créditos, que hoje ficam acumulados e demora a receber, então estamos indo na direção da simplificação”, disse Guedes. Ele também argumentou que o país precisa trabalhar para baixar custos de logística, energia e transporte para o setor agrícola. “Temos que facilitar para que boa parte do lucro fique com o produtor, e não seja consumido ao longo da estrada, uma parte com imposto, outra parte com custo de transporte, com logística”. Em relação aos preços agrícolas, o ministro da Economia afirmou que sofrem muitas intempéries e a melhor forma de lidar não é com o controle de preços. “A melhor forma de lidar com isso é evoluirmos para os seguros, para os mercados futuros, para um seguro contra essas flutuações. Se você está plantando e conhece os custos de energia, de mão de obra, você olha no mercado futuro e começa a negociar, faz seu seguro. Estamos indo nessa direção”, disse. No caso do leite, a ministra Tereza Cristina destacou a importância dos Conseleites, que já existem em alguns estados e definem o preço do leite com base nos custos regionais. A ministra Tereza Cristina ressaltou que o setor leiteiro é uma das prioridades do Mapa. Ela reafirmou que a cadeia é grande, mas desigual. Para que haja padronização, o caminho é apoiar iniciativas para qualificação do produtor e adoção de tecnologias modernas. O Mapa desenvolve programas de combate às principais doenças que afetam o rebanho, como brucelose e febre aftosa, além de estimular assistência técnica e consumo de leite e derivados no país (PAA, PNAE e Mais Leite Saudável). A atividade leiteira está presente em 98% dos municípios brasileiros, desempenhada, principalmente, por pequenos e médios produtores. O Brasil superou a produção de 33 milhões de litros de leite em mais de 1 milhão de propriedades.

Secretaria de Defesa Agropecuária divulga temas da Agenda Regulatória 2020-2021

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou nesta segunda-feira (10), no Diário Oficial da União, a Portaria nº 277, que aprova a lista de temas da primeira Agenda Regulatória 2020-2021 da Secretaria de Defesa Agropecuária. É a primeira vez que o Mapa implementa esse instrumento que já é utilizado pelas agências reguladoras. A agenda conta com 60 temas considerados prioritários em relação à elaboração e revisão de normas de defesa agropecuária. A construção da lista contou com a participação de representantes do governo, do setor privado, da sociedade civil e da academia. “A elaboração da agenda regulatória é uma das ações previstas no Programa de Melhoria de Qualidade Regulatória (PMQR), do Plano de Defesa Agropecuária (PDA) lançado em 2015. Neste contexto, engloba aspectos políticos, institucionais, econômicos, sociais e ambientais, dentro de uma visão integrada de abertura, transparência e previsibilidade”, destaca o secretário de Defesa Agropecuária, José Guilherme Leal. A lista de temas da Agenda Regulatória será revisada ao final do primeiro ano, com a possibilidade de substituição de, no máximo, 20% dos temas elencados. A proposta de substituição deverá ser justificada e privilegiar temas de maior gravidade, urgência ou tendência de agravamento e dependerá de autorização do secretário de Defesa Agropecuária. Os temas que não foram selecionados neste primeiro momento integram o banco secundário que servirá de base para a tomada de decisão acerca de outras regulamentações, a depender da capacidade institucional. A Portaria entra em vigor no dia 1º de setembro.

Trump ameaça retaliar Brasil por causa de tarifa sobre etanol americano 

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou na noite de segunda-feira (10) na Casa Branca que o país pode impor tarifas a produtos brasileiros se o governo Bolsonaro não reduzir as taxas do Brasil ao etanol americano. De acordo com o jornal O Globo perguntado sobre a pressão que estaria fazendo para que o Brasil elimine tarifas sobre a importação do produto dos EUA, Trump afirmou que “em algum momento” esse assunto será discutido. “Nós não queremos ninguém nos tarifando, embora eu tenha uma relação muito boa com o presidente Bolsonaro”, disse o presidente americano. “No que se refere ao Brasil, se eles impõem tarifas, nós temos de ter uma equalização de tarifas. Vamos apresentar algo que tenha a ver com tarifas, e com justiça. Porque muitos países, por muitos anos, têm nos cobrado tarifas para fazer negócios, e nós não cobramos deles. E isso se chama reciprocidade, se chama tarifas recíprocas, e talvez você veja algo sobre isso muito em breve”. Produtores brasileiros de etanol pressionam o governo federal para restabelecer, em setembro, a tarifa de importação de 20% prevista na Tarifa Externa Cocum (TEC)  no Mercosul para a importação do combustível dos Estados Unidos. No próximo dia 31 de agosto vence o prazo da isenção de importação para até 750 milhões de litros de etanol concedida pelo governo brasileiro no ano passado, e os produtores não querem que ela seja renovada. A questão já está provocando uma queda de braço nos bastidores do setor. De um lado os produtores brasileiros defendem o fim das isenções. De outro, os produtores de etanol americanos pressionam para que o governo brasileiro amplie a tarifa zero para todas as exportações do combustível dos EUA para o Brasil, sem cotas. Os produtores brasileiros argumentam que os Estados Unidos, apesar de terem sido beneficiados com tarifa zero até o volume de 750 milhões de litros, não concederam qualquer contrapartida em relação às tarifas de exportação do açúcar brasileiro, por exemplo, que chegam perto de 140%. De janeiro a abril deste ano foram importados pelo Brasil um total de 741,6 milhões de litros de etanol, das quais 663,7 milhões dos Estados Unidos.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Estilo brigão de Trump impulsiona exportações do agronegócio brasileiro

O Estado de S.Paulo – Ministério da Economia cria força-tarefa para defender o teto de gastos

O Globo – Trump ameaça retaliar Brasil por causa de tarifa sobre etanol americano

G1 – Safra de grãos no Brasil deve crescer 4,8% e alcançar recorde de 253,7 milhões de toneladas

ANAC – ANAC autoriza teste para entrega de produtos com drones

Governo Federal – Mourão fala dos esforços no país na preservação da Amazônia em encontro ibero-americano

Valor Econômico – Para Ernesto Araújo, aumento das exportações à China mostra que não há problemas na relação bilateral

Valor Econômico – Commodities: Clima favorável no Brasil pesa sobre cotações do café em NY

Valor Econômico – Volume de fretes rodoviários cresceu mais de 30% no país em junho

Valor Econômico – IBGE: Safra de grãos será recorde e deve alcançar 250,5 milhões de toneladas

Valor Econômico – Produção agroindustrial se afasta do fundo do poço, indica FGV Agro

Valor Econômico – Sojicultor tem produtividade recorde no RS em meio à seca

Valor Econômico – Lucro líquido do Grupo São Martinho cresceu 26,5% no 1º trimestre da safra

Valor Econômico – ONG Aliança da Terra decide virar empresa

Valor Econômico – Lucro líquido da Nutrien caiu 11% no 2° trimestre

Valor Econômico – Divisão agrícola da Bayer tem nova líder no Brasil

Valor Econômico – Lucro líquido do Grupo São Martinho cresceu 26,5% no 1º trimestre da safra

Valor Econômico – Guedes diz que país não sofreu choque externo graças ao agronegócio

Mapa – Mapa informa captura de um exemplar de mosca-da-carambola em Boa Vista

Mapa – Agro manteve prateleiras cheias e exportações brasileiras na pandemia, diz ministro Paulo Guedes

Mapa – Pesquisa mostra o retrato da agricultura digital brasileira

Mapa – Produção de grãos sinaliza recorde final de 253,7 milhões de toneladas

Mapa – Manejo sustentável na Flona do Amapá é autorizado

Mapa – Secretaria de Defesa Agropecuária divulga temas da Agenda Regulatória 2020-2021

Mapa – Emissão do Certificado de Cadastro de Imóvel Rural 2020 será liberada em 17 de agosto

CNA – Sistema Faeg Senar e Bayer firmam parceria para desenvolver jovens líderes no agronegócio

CNA – Senar/MS e Sindicato Rural de Três Lagoas realizam 1ª edição da Feira Segura no estado

CNA – Senar ensina cálculo da margem líquida na agropecuária

CNA – FAEA estrutura estratégias para implementação do Selo ARTE no Amazonas

CNA – FAEP pede prazo para adequação mediante suspensão de queima de cana-de-açúcar

CNA – Boletim CNA destaca alta nas exportações de açúcar e frutas e auxílio emergencial para agricultores familiares

AgroLink – Moagem de cana atinge 50,48 milhões de toneladas

AgroLink – Alagoas terá Rota da Fruticultura

AgroLink – Algodão goiano tem conquistado certificações internacionais

AgroLink – Edição genética cria mandioca livre de cianeto

AgroLink – Clima começa preocupar triticultor

AgroLink – 10 maiores agroquímicas do México

AgroLink – Produção de grãos bate novo recorde

AgroLink – “Brasil e China têm muito a cooperar e se beneficiar”

AgroLink – Estatais entram no jogo e China compra mais dos EUA

AgroLink – Demanda externa impulsiona Chicago

AgroLink – Preço da soja sobe na maioria das praças

AgroLink – GO: Governo investe R$ 15 milhões em centro de excelência de agricultura exponencial

AgroLink – Blockchain será usada para rastrear suprimentos
______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »