ANAC apresenta proposta de modernização da regulação da aviação agrícola

Home/Informativo/ANAC apresenta proposta de modernização da regulação da aviação agrícola

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) realizará, em 6 de julho, às 14h, reunião virtual participativa para discutir com a sociedade um novo modelo regulatório para a aviação agrícola. O objetivo é apresentar os resultados das propostas para a modernização do Regulamento Brasileiro de Aviação Civil (RBAC) nº 137, tema da Agenda Regulatória da ANAC e do Voo Simples, programa criado para simplificar procedimentos e desburocratizar a aviação civil brasileira. A reunião participativa virtual será transmitida pelo canal oficial da ANAC no YouTube. No evento, serão abordados temas como o novo processo de certificação de operadores aeroagrícolas comerciais, a nova filosofia de segurança operacional aplicada às operações agrícolas e de combate a incêndio e a nova abordagem de fiscalização das operações. A sessão contará ainda com um momento para esclarecimentos de dúvidas e recebimento de sugestões. Os interessados em realizar perguntas ao vivo poderão se inscrever para participar do evento, conforme informações que serão divulgadas no início da transmissão. Os espectadores também poderão encaminhar dúvidas pelo aplicativo Slido, cujo acesso estará disponível durante todo o período da reunião participativa. A versão original do RBAC nº 137 data de maio de 2012. Desde então, o texto do normativo passou por quatro processos de atualização. Contudo, os avanços tecnológicos e as inovações surgidas no mercado da aviação agrícola contribuíram para a necessidade de uma nova modernização regulatória. O RBAC nº 137 abrange requisitos como certificação de empresas de aviação agrícola, limitações para operadores não comerciais, regras para aeronaves e equipamentos, gerenciamento de segurança, áreas de pouso e condições atmosféricas, entre outros.

Cresce uso de drones na aplicação aérea

Os drones são realidade nas lavouras brasileiras e têm sido uma ferramenta promissora para uso de pulverização, destacou o portal AgroLink nesta segunda-feira (28). Os resultados de pesquisas com defensivos agrícolas mostram dados promissores quanto ao uso em área total, principalmente nas culturas de soja e milho, em substituição à aplicação em aérea convencional, com menor potencial de deriva e maior versatilidade no trabalho. Ou seja, as informações apontam aspectos de qualidade e segurança nas aplicações dos defensivos agrícolas, através do uso de drones. De acordo com o engenheiro agrônomo, professor e pesquisador, Ulisses Antuniassi, da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp / Botucatu-SP), os setores florestal e de cana de açúcar são aqueles que mais utilizam a técnica de sistemas de injeção de defensivos em pulverizadores, nas regiões Sul e Sudeste do país. Segundo o pesquisador, para garantir o potencial produtivo da lavoura, quanto ao uso e interpretação das imagens captadas pelos drones, o produtor e a equipe de trabalho devem se atentar, antes de qualquer decisão, às análises, mas que devem ser feitas de forma minuciosa e com preparo especializado. “A análise de imagens é uma ferramenta que depende de métodos robustos de análise estatística, geoestatística e de modelagem matemática. Observações simples sobre erros de semeadura, falhas, fitotoxicidade e manchas na lavoura (plantas daninhas, pragas e doenças) podem ser obtidas por imagens convencionais. Porém, análises mais profundas, que possibilitem estimativa de produtividade, dependem de imagens elaboradas e diferentes ferramentas do sensoriamento remoto”, explica Ulisses Antuniassi, um dos principais estudiosos de tecnologias de aplicação no Brasil e estará na sétima live do Circuito Master Meeting Soja realizado pela Proteplan. Sobre os desafios das aplicações com aeronaves agrícolas e drones, os resultados mostram que há um pouco de deriva a qual precisa ser considerada. Assim como, em alguns casos, existe problemas de uniformidade de deposição. O tamanho da gota do pulverizador, a taxa de aplicação, as condições meteorológicas, a indicação e recomendação do uso do produto descritas nas bulas são alguns dos fatores que devem ser considerados para as tomadas de decisões para uso de defensivos agrícolas. São itens que vão interferir no resultado final, independente se a aplicação for terrestre ou área.

Deputado Alysson Lima pleiteia que ICMS de combustíveis seja reduzido não só para aviação

Tramita na Assembleia Legislativa de Goiás projeto de lei que altera a Lei nº 11.651, 11.651, de 26 de dezembro de 1991, a qual institui o Código Tributário do Estado de Goiás. Na justificativa do processo nº 5878/21, o deputado Alysson Lima (Solidariedade), que assina a proposta, afirma que o objetivo é reduzir as alíquotas de Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) dos combustíveis, previstos nos incisos IX, X e XII, constantes no art. 27 da Lei nº 11.651/1991, para o porcentual de 7%. A matéria esclarece, ainda, que o Decreto Executivo nº 9.560/2019 foi responsável pela redução da alíquota do ICMS, exclusivamente sobre os combustíveis de aviação, para 7%. ‘‘De maneira semelhante, mas com a intenção de beneficiar não só uma elite empresária, mas toda a população goiana que utiliza o etanol, a gasolina e o óleo diesel diariamente, faz-se necessária as alterações propostas’’, afirma Lima.

Sorocaba recebe piloto de tecnologia de internet 5G para uso no agro

O uso de máquinas autônomas no campo, como pulverizadores que identificam sozinhos quais pontos devem receber os produtos, só é possível a partir de conexão de internet de alta performance. Foi o que demonstrou a conexão 5G inaugurada, na última sexta-feira (25), em Sorocaba (SP), pelo Governo Federal. A antena de transmissão 5G foi instalada no Centro Universitário Facens e faz parte das ações piloto para a entrada em vigor da tecnologia no Brasil. A inauguração do projeto piloto contou com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, e dos ministros Tereza Cristina (Agricultura), Fábio Faria (Comunicações) e Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações). “O agro segurou nossa economia no ano passado, o homem do campo não ficou em casa. Só com tecnologia podemos agregar valor ao que temos nas terras brasileiras. A tecnologia, a ciência são muito importantes para o nosso futuro e para nossa sobrevivência. Esta união e forma de trabalhar buscando parcerias escreverá o futuro da nossa nação e o agro faz parte disso”, declarou o presidente Jair Bolsonaro. Para o campo, a conexão em 5G permite maior produtividade e reforça o papel do Brasil como protagonista no cenário mundial de produção de alimentos a partir da redução de custos e diminuição de perdas na produção. “Acabamos de assistir uma demonstração do que é a agricultura moderna, agricultura de precisão e sustentável que esse país já faz e que vai fazer ainda mais quando tivermos uma conectividade democratizada no nosso país”, destacou a ministra Tereza Cristina ao citar que apenas 23% do espaço agrícola brasileiro possui algum nível de cobertura por internet. O ministro Fábio Faria corroborou a importância da conectividade no agro brasileiro. O projeto em Sorocaba dará suporte a testagem e prototipagem de produtos e serviços por empresas, startups e academia, incluindo aplicações para inovação no agronegócio. Instalada pelas empresas Ericsson e Claro, a antena tem serviço de transmissão em alta velocidade a partir de geração pela própria estrutura. É o chamado 5G “pura” ou standalone. O ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, reforçou o uso de tecnologia e conhecimento para o desenvolvimento do país. Os projetos de antena 5G são pilotos para a efetiva entrada em vigor da tecnologia no Brasil, após leilão das frequências de operação a ser realizado no segundo semestre. Enquanto isso, 20 projetos-pilotos serão implementados pelo Ministério das Comunicações, sendo oito em área rural. O primeiro foi inaugurado em Rondonópolis (MT), em maio. Segundo o ministro das Comunicações, a expectativa é que todas as capitais brasileiras tenham internet 5G até julho do ano que vem e que todos os brasileiros tenham acesso a internet até 2028. Durante a agenda em Sorocaba, a ministra Tereza Cristina ainda participou da inauguração do Centro de Excelência em Tecnologia 4.0, projeto desenvolvido pelo Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovações.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Produtores rurais cobram indenização por desapropriação para unidade de conservação 
Agência Câmara – Comissão discute criminalidade e segurança no campo 
Jota – Perseguição contra as Legaltechs do mundo da aviação 
Folha de S.Paulo – Efeitos do novo ciclo de commodities não se afastam do campo Folha de S.Paulo – Sem citar investimento, Bolsonaro inaugura centro de indústria 4.0 com foco em 5G  
Folha de S.Paulo – Governo propõe taxar dividendos em 20% e unificar alíquota de 15% para investimentos  
O Estado de S.Paulo – No agronegócio, sustentabilidade e produtividade alinhadas à saúde do planeta 
O Estado de S.Paulo – Valley cresce junto com o uso de irrigação no País 
Anac – ANAC apresenta proposta de modernização da regulação da aviação agrícola 
Mapa – Banco do Brasil vai destinar R$ 135 bilhões para a safra 2021/2022 
Mapa – Frio será intenso na próxima semana na maior parte do Brasil 
Mapa – Sorocaba recebe piloto de tecnologia de internet 5G para uso no agro 
Mapa – Rio Grande do Norte tem 20 municípios reconhecidos como livres da mosca das frutas 
G1 – Produtores do interior de SP investem na produção de cogumelos 
G1 – Plano Safra 2021/22 terá R$ 251,2 bilhões para produtores rurais 
G1 – Produção de biodiesel no RS cai após redução de mistura obrigatória
G1 – Senado debate projeto que permite realização de atividades sem autorização de órgãos ambientais  
G1 – Produtores rurais miram na economia de energia e investem em painéis solares 
Alego – Alysson Lima pleiteia que ICMS de combustíveis seja reduzido não só para aviação  
Valor Econômico – BB confirma que vai ofertar R$ 135 bi em crédito rural na safra 2021/22 
Valor Econômico – Oferta de trigo cresce no Mercosul, e preço das farinhas deverá recuar 
Valor Econômico – Agrogalaxy avalia entrar na bolsa com IPO restrito 
Valor Econômico – Fatia do campo nas emissões de títulos ‘sustentáveis’ é pequena 
Valor Econômico – Startup Docket lança plataforma para emissão de CPR 100% digital 
Valor Econômico – CerradinhoBio reforça aposta em etanol de milho 
Valor Econômico – Refinarias vencem disputa sobre mandato de biocombustível nos EUA 
Embrapa – Pesquisadora da Embrapa Amapá representa o Brasil em projeto com cientistas de 17 países 
AgroLink – Piloto vai testar 5G no agronegócio 
AgroLink – Cresce uso de drones na aplicação aérea 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »