Alta da carne bovina puxa produção de frangos e porcos

//Alta da carne bovina puxa produção de frangos e porcos
A alta do preço da carne de boi nos últimos meses tem animado os produtores de outros tipos de proteína, como de suínos e aves, informou a Folha de S.Paulo nesta terça-feira (31). De setembro a dezembro, os preços subiram 32% no caso da carne de porco e em quase 20% no frango, na região de São Paulo. Porém, apesar de ter pesado no bolso de quem compra, os criadores pouco sentiram os ganhos na ponta. “O que a gente está sentindo agora é uma recuperação do poder de compra, ou seja, o mercado saiu da inércia, mas não que seja algo grande”, aponta Elias Zydek, diretor-executivo da Frimesa, cooperativa paranaense que atua no mercado de carne suína, leite e derivados. Ele ressalta que os ganhos também entraram como forma de compensar perdas anteriores, já que os preços desse tipo de produto pouco variaram nos últimos anos. A dinâmica diferenciada de cada cadeia produtiva explica parte do fenômeno. Enquanto produtores de frangos e suínos estão, na maioria, organizados de forma integrada, o mercado independente domina a venda da carne bovina. “A cadeia do boi oscila muito mais porque quem faz o mercado é o próprio produtor. Ele é quem oferta”, explica Zydek. O criador de frangos em São Miguel do Iguaçu, oeste do Paraná, Diogo Sezar de Mattia, comercializa a produção com uma cooperativa da região. Ele suporta as variações de preços em tempos de alta, mas também tem os recebimentos garantidos em épocas de crise. “A gente sente menos, principalmente no gasto com insumos. Quem trabalha no particular sente mais esse peso. Mas, ao mesmo tempo, quando aumenta o preço para o consumidor, demoramos mais para sentir o retorno”, diz. A maior possibilidade de estocagem do boi em relação a aves e porcos também faz com que o resultado chegue mais tarde para estes produtores, afirma Zydek. Ou seja, enquanto o gado pode permanecer no pasto por mais tempo, os outros animais têm prazo restrito para o abate. Assim, suinocultores e avicultores não podem esperar para colocar a carne no mercado. De acordo com Domingos Martins, presidente da Sindiavipar (Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Paraná), outro fator comum para o aumento de preços nos dois ramos é a proximidade das festas de final de ano e a injeção do 13º salário no orçamento das famílias.

Publicado regulamento para fabricação artesanal de derivados de leite

As normas para produção artesanal de derivados de leite necessárias à concessão do Selo Arte foram publicadas nesta segunda-feira (30), no Diário Oficial da União. A Instrução Normativa 73, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), estabelece o regulamento técnico de boas práticas agropecuárias destinadas aos produtores rurais fornecedores de leite para fabricação artesanal de alimentos de origem animal. A concessão do Selo Arte permitirá a venda interestadual de produtos alimentícios artesanais, como queijos, embutidos, derivados de mel e de pescados. A certificação é um sonho antigo de produtores artesanais, que poderão acessar mais mercados e aumentar sua renda. O regulamento prevê os requisitos higiênico-sanitários mínimos necessários às propriedades rurais fornecedoras de leite para produção de alimentos artesanais. Caberá aos estados e aos Distrito Federal concedentes do Selo Arte a avaliação do cumprimento do regulamento de boas práticas. Uma das exigências é que a propriedade fornecedora de leite seja certificada como livre de brucelose e tuberculose, de acordo com as normas do Programa Nacional de Controle e Erradicação de Brucelose e Tuberculose Animal (PNCEBT), ou controlada para essas doenças por órgão estadual de defesa sanitária animal. Os produtores farão o controle sanitário do rebanho, incluindo a vacinação contra febre aftosa, conforme programação oficial, exceto nos estados livres sem vacinação, além do controle de mastite e de parasitas, entre outros requisitos. O leite deverá ser obtido de animais que se apresentem clinicamente sãos e em bom estado de nutrição, que não estejam no período final de gestação ou na fase colostral nem apresentem sintomas de doenças no aparelho genital ou lesões no úbere e tetos, febre, infecções e diarreia. Esses animais não podem ter sido tratados com substâncias nocivas à saúde do homem nem ter recebido substâncias estimulantes da produção láctea. O Ministério da Agricultura está preparando a regulamentação da fabricação artesanal de derivados de pescado, de cárneos e de produtos da abelha. Neste mês, o Mapa editou a instrução normativa que define os procedimentos para concessão do Selo Arte pelos estados e o Distrito Federal.

Prefeitura diz que ruído de fogos em SP foi excessivo e que vai multar empresa

A Prefeitura de São Paulo afirmou nesta quarta-feira (1º) que o ruído dos fogos de artifício soltos durante as comemorações de Réveillon na Avenida Paulista foram superiores ao que estava previsto e que, por essa razão, vai multar a empresa responsável pelo show. Cerca de 2 milhões de pessoas participaram da festa. “Embora tenha sido usada uma tecnologia que minimiza os efeitos sonoros, eles ainda foram maiores do que o acordado com a empresa”, informa nota da prefeitura, que não divulgou o nome da empresa e o valor da multa. Segundo o portal Anda, uma lei que proíbe fogos barulhentos foi sancionada pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) em maio de 2018. Questionada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a legislação ainda não foi regulamentada. A prefeitura afirmou que irá aplicar uma multa à empresa porque o contrato foi descumprido e não por conta da legislação. Um processo administrativo que investigará se a norma foi quebrada será aberto.

Protetores fazem apelo contra abandono de animais no período de férias

Para a maioria das pessoas, férias são sinônimo de lazer, curtição e viagem. Para os animais não incluídos no planejamento familiar, no entanto, o período muitas vezes se traduz em abandono, destacou o jornal O Globo nesta segunda-feira (30). A triste realidade, observada sobretudo de novembro até o carnaval, é confirmada por ONGs e órgãos públicos, que costumam registrar aumento de animais rejeitados por seus tutores nesta época. E facilmente constatada no Recreio, bairro onde o número de cães e gatos abandonados circulando pelas ruas cresce consideravelmente. De acordo com Rosana Guerra, responsável pela ONG Indefesos, que resgata animais e realiza periodicamente feiras de adoção na Praça do Ó, o número de animais abandonados nesta época aumenta a cada ano. “Final de ano é abandono para todos os lados. Nesta época, o animal passa a ser um problema para família que quer viajar e, com facilidade e sem qualquer tipo de constrangimento, muitas descartam os seus animais como coisas. A maioria dos que vivem hoje nas ruas já teve um lar, mas foi abandonada. No ano passado, no dia 23 de dezembro, encontrei caixas com quatro ou cinco gatos em cada uma. Eu me sentei e chorei, porque não sabia o que fazer com tantos filhotes”, conta ela, que os encaminhou a lares temporários e feiras de adoção. Diretora da ONG Focinhos de Luz, com sede em Guaratiba, Thaisa Calvente afirma que neste fim de ano o número de animais abandonados acolhidos pela ONG aumentou se comparado aos dos anos anteriores. E faz um pedido à população: “Se você vir um animal abandonado na rua, acolha-o, dê a ele água e comida, promova os cuidados iniciais mesmo que você não possa adotá-lo. Essa ajuda pode ser determinante para a sobrevivência do animal. Depois, procure uma pessoa para ficar com ele”, aconselha Thaisa, destacando que o Recreio é, atualmente, um dos bairros da cidade onde mais se veem animais abandonados. — Há muitos relatos em grupos do bairro nas redes sociais. O apelo contra o abandono também vem de quem conhece a realidade cotidiana de um equipamento da prefeitura destinado aos animais. Diretor do Centro de Proteção Animal/Fazenda Modelo, que recebe em Guaratiba animais abandonados e/ou vítimas de maus-tratos, Fernando Ferreira diz que o local, operado pela Subsecretaria de Bem-Estar Animal (Subem), funciona atualmente acima da lotação máxima.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Alta da carne bovina puxa produção de frangos e porcos

Folha de S.Paulo – Famosos exibem seus animais de estimação na web e são ofuscados pelos pets

Folha de S.Paulo – Incêndio em zoológico desperta debate sobre fogos de Ano-Novo na Alemanha

Jornal Agora – Polícia encontra rinha de galo em chácara no interior de São Paulo

O Globo – Protetores fazem apelo contra abandono de animais no período de férias

O Estado de S.Paulo – Dois meses depois de se mudar para santuário, elefanta Ramba morre

AgroLink – China pretende criar mais suínos e tirar produtores da pobreza

Valor Econômico – Com recorde histórico, boi foi destaque na B3 em 2019

Valor Econômico – Acordo entre EUA e UE envolvendo carne bovina de alta qualidade entrará em vigor em 2020

Valor Econômico – Peste suína na China impulsionou ações de frigoríficos na B3

AgroLink – Índia importa material genético de gado modificado no Brasil

AgroLink – Avicultura: A importância da qualidade da água

AgroLink – Preços firmes no varejo de carne bovina

AgroLink – Calmaria no mercado do boi gordo

Mapa – Publicado regulamento para fabricação artesanal de derivados de leite

Mapa – Dezembro se encerra com queda média de 15% na cotação da arroba do boi gordo

G1 – Câmara de Cuiabá aprova lei que proíbe circulação de carroças puxadas por animais

G1 – Campanha alerta sobre sofrimento causado por fogos em animais

Anda – Estudo revela que cães podem se comunicar com os tutores pela expressão de seus olhos

Anda – Conheça as celebridades que se destacam na defesa dos direitos animais

Anda – Mais de mil animais silvestres são resgatados em zona urbana de MT em 2019

Anda – ONG denuncia sofrimento de animais confinados em gaiolas mínimas em zoo

Anda – Abrigos ficam lotados por conta do aumento do abandono de animais no fim do ano

Anda – Prefeitura diz que ruído de fogos em SP foi excessivo e que vai multar empresa

__________________________________________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »