Bolsonaro recebe ministro da Saúde após confirmação de novos casos de coronavírus  

//Bolsonaro recebe ministro da Saúde após confirmação de novos casos de coronavírus  
 

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fez uma reunião de emergência com o presidente Jair Bolsonaro na manhã desta sexta-feira, no Palácio do Planalto. Segundo o jornal O Globo na saída do encontro, Mandetta afirmou que o objetivo foi apresentar as últimas informações sobre os casos do novo coronavírus.  A secretaria estadual de Saúde da Bahia confirmou na manhã desta sexta-feira (6) o nono caso de coronavírus no Brasil, o primeiro no Nordeste. Com isso, já são quatro os estados com casos confirmados no país. A paciente, uma mulher de 34 anos que mora em Feira de Santana, a cerca de 120 quilômetros da capital, Salvador, retornou da Itália no último dia 25. O país é o principal epicentro de Covid-19 na Europa. Ela passou pela cidade de Milão, no norte italiano, que concentra grande parte dos casos. Mandetta afirmou que as orientações passadas por Bolsonaro seguem as mesmas desde o início da epidemia: transmitir as informações de forma transparente e responsável. “Sempre quando a gente tem essas mudanças de nível, eu sempre deixo o presidente a par. Ele está a par, está no comando de todos os ministérios. E as mesmas orientações que ele meu deu no início, converse com a população, transparência total nos dados, vamos transmitir calma para a população”, relatou. Enquanto a reunião ocorria, a Secretaria estadual de Saúde da Bahia confirmou o nono caso do país. Mandetta, no entanto, afirmou que os balanços do ministério só são divulgados uma vez ao dia, com números consolidados das secretarias: “A gente fecha sempre às 16h com os números que vem das secretarias dos estados. Pode acontecer isso, de uma secretaria confirmar, mas no nosso balanço consolidado, que a gente fecha no final do dia, a gente fecha com as informações que vem dos estados”. Por volta da 11h desta sexta-feira (6), no entanto, o Ministério da Saúde confirmou o caso do novo coronavírus na Bahia. O ministro ressaltou que a transmissão local é diferente da comunitária ou sustentada. O que há o Brasil é transmissão local, ou seja, um indivíduo contraiu o vírus de outra pessoa dentro do país. Já a transmissão sustentada ocorre quando não é possível mais rastrear a linha de transmissão do SARS-CoV-2. “A gente já tem os casos de transmissão em São Paulo, oriundos daquele paciente, não é transmissão ainda comunitária, ou sustentada, como a gente chama”, declarou o ministro. Mandetta afirmou, ainda, que está em contato com parlamentares para tratar da possível necessidade de autorização de recursos adicionais para combater o vírus: “Contatamos o Congresso, alertando que pode haver necessidade de recursos adicionais, tanto ao presidente da Câmara como o presidente do Senado. Estão todos a par”.

Não há ‘evidências’ de falta de medicamentos no Brasil por novo coronavírus, diz Anvisa

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que não há “evidências” de que os estoques de medicamentos no Brasil estejam sob risco “iminente” de desabastecimento por prejuízos causados pelo novo coronavírus na cadeia produtiva da indústria farmacêutica. De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo o órgão afirma que está em contato com empresas que detêm registros de medicamentos no Brasil. A ideia é agir rapidamente em casos de possíveis desabastecimentos, diz a agência. “Todas as associações representativas da indústria farmacêutica já foram contatadas pela Anvisa para o envio de dados sobre estoque de medicamentos e eventuais riscos de desabastecimento”, declara a Anvisa em nota enviada nesta quinta-feira (5). O avanço do novo coronavírus ligou o alerta na indústria e em governos por possíveis interrupções do fornecimento de medicamentos ou de insumos para a produção de remédios, especialmente vindos da China e Índia. Mais de 90% dos Insumos Farmacêuticos Ativos (IFAs) usados no Brasil são importados, sendo boa parte destes países. A Anvisa se reuniu na quarta-feira, 4, com representantes da indústria farmacêutica para confirmar que não há risco “iminente” de falta de medicamento. “Como encaminhamento, foi definido que as associações manterão canal aberto com a Anvisa sobre a real situação dos estoques das empresas, a fim de evitarmos um potencial risco de desabastecimento de medicamentos no Brasil”, afirma a agência. O órgão afirma que, se preciso, adotará medidas de para atender casos específicos de falta de medicamentos ou insumos para a produção. “Portanto, a Anvisa adotará medidas de otimização regulatória para atender casos específicos, mantendo a qualidade, segurança e eficácia dos produtos, e, em eventual hipótese de desabastecimento em razão da epidemia de Coronavírus, poderá tomar as devidas providências.” A agência definiu ainda que editará uma resolução para “racionalizar” certificações exigidas para registros de medicamentos e produtos para a saúde no Brasil, prevendo demanda pelo novo coronavírus. Como o Estadão/Broadcast mostrou, a indústria de medicamentos afirma que não teve a cadeia produtiva impactada pelo novo coronavírus, mas a situação “preocupa”. As entidades dizem ter ligado o alerta para a possibilidade de insumos para produção ou pressão sobre preços. “As nossas associadas, e quase todas as empresas do setor, estão obviamente fazendo mapeamento dos seus estoques e checando como o fornecimento pode ser afetado. É lógico que a preocupação é grande, mas não posso dizer pontualmente quais seriam os ativos (prejudicados)”, disse a presidente da ProGenéricos, Telma Salles. “O que preocupa é uma corrida às farmácias por notícias de suposto desabastecimento. Aí vai ter mesmo uma falta de medicamentos”, afirma o presidente do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (Sindusfarma), Nelson Mussolini.

Comissão debate potencial brasileiro para produção de medicamentos à base de maconha

A comissão especial sobre Medicamentos feitos com Cannabis (PL 399/15) debate nesta terça-feira (10) o potencial brasileiro para o cultivo da maconha. Após o debate haverá a deliberação de requerimentos, informou a Agência Câmara nesta sexta-feira (6). A realização do debate foi solicitada por diversos parlamentares que integram o colegiado. O deputado Luciano Ducci destaca que a maioria dos produtos à base de Cannabis são importados e custam muito caro, então muitos pacientes buscam na justiça o direito de ter o tratamento pago pela união. “A judicialização da saúde já é um problema no orçamento do SUS e a importação de Cannabis está aumentando essa despesa, que seria muito menor se houvesse uma produção nacional”, afirma. Foram convidados: a farmacêutica, membro da Comissão de plantas medicinais e fitoterápicos do CRF/SP, Renata Monteiro; o farmacêutico Bioquímico, mestre em produtos naturais e sintéticos bioativos e doutor em agronomia – produção vegetal – Euclides Lara Cardozo; o doutor em Biologia molecular e pós-doutor em fitoquímica aplicada à alelopatia, Fabian Borghetti; o engenheiro Agrônomo, Geógrafo e especialista em Agroecologia, Sérgio Rocha; e o pesquisador em Recursos Genéticos e Biotecnologia na Embrapa, Roberto Fontes Vieira. A reunião será às 14 horas, no plenário 3. O evento será interativo.

CTNBio aprova terapia genética contra cegueira

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou pedido feito pelo laboratório farmacêutico Novartis e liberou a venda do Luxturna, medicamento utilizado no tratamento de pessoas que perderam a visão por distrofia da retina hereditária, uma doença genética rara que afeta a fina membrana localizada na parte posterior do globo ocular. Conforme destacou a Agência Brasil esta é a primeira vez que o colegiado ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e responsável por prestar apoio técnico e assessoramento ao governo federal aprovou a liberação comercial de um produto para terapia genética no Brasil. O pedido do laboratório foi deferido durante reunião da CTNBio, nesta quinta-feira (5), em Brasília. A comercialização do produto ainda depende da aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que deverá avaliar a capacidade terapêutica do Luxturna. Nos Estados Unidos, a administração da droga criada pela empresa desenvolvedora de terapias genéticas Spark Therapeutics (que foi adquirida pela multinacional Roche em dezembro de 2019) foi aprovada em 2017. Já a Comissão Europeia autorizou a comercialização do Luxturna em 2018. Em nota, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação destaca que, durante a análise do pedido de liberação, foram avaliados os riscos de biossegurança e os possíveis efeitos adversos do uso dos organismos geneticamente modificados presentes na fórmula do Luxturna. Por unanimidade, os membros da comissão julgaram que a utilização do Luxturna segura. Documentos técnicos disponíveis no site da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) elenca algumas precauções que devem ser adotadas, como a obrigatoriedade do paciente passar por testes capazes de comprovar que sua perda de visão foi provocada por mutações em um determinado gene sobre o qual a substância ativa do Luxturna atua, o gene RPE65. São as mutações deste gene que impedem o organismo humano de produzir a proteína necessária ao adequado funcionamento da retina, responsável por transformar a informação luminosa captada pelo olho no sinal elétrico que é enviado ao cérebro. Na terapia genética, um paciente que não tem determinado gene ou que tem um gene com uma mutação recebe um gene adicional. Este procedimento, segundo o Ministério da Saúde, só poderá ser realizado em hospitais ou clínicas especializadas. O produto é administrado via injeção sub-retiniana em cada olho. Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, o laboratórios farmacêutico ainda não definiu o custo da terapia genética. Nos Estados Unidos, onde ela já está sendo comercializada, pode chegar a US$ 850 mil dólares.

SAÚDE NA IMPRENSA

Agência Câmara – Projeto concede a paciente com histórico familiar de câncer direito a teste genético pelo sus

Agência Câmara – Comissão debate potencial brasileiro para produção de medicamentos a base de maconha

Agência Câmara – Projeto define informações mínimas do cadastro de inclusão da pessoa com deficiência

Agência Senado – CTFC fará debate sobre oferta de planos de saúde individuais

Agência Senado – Dia Mundial do Rim será celebrado em sessão especial no Senado

Folha de S.Paulo – Aceleradora seleciona startups para apresentar a investidores

Folha de S.Paulo – Mãos limpas previnem doenças

Folha de S.Paulo – Cresce a epidemia de Drauzio Varella

Folha de S.Paulo – Nem todos os serviços públicos de saúde de São Paulo têm álcool gel e sabonete

Folha de S.Paulo – A falta de luz solar pode causar depressão?

Folha de S.Paulo – O câncer mostrando suas garras para Nietzsche ver defeito

O Globo – Bolsonaro recebe ministro da Saúde após confirmação de novos casos de coronavírus

O Globo – Com primeiro caso no Rio e mais dois em SP, coronavírus chega a oito confirmações, diz Saúde

O Estado de S.Paulo – Cresce movimento para derrubar decisão de Bolsonaro contra ampliação do BPC

O Estado de S.Paulo – Vaticano registra primeiro caso de coronavírus

O Estado de S.Paulo – Bolsa cai e dólar sobe devido ao pânico gerado pelo coronavírus

O Estado de S.Paulo – Não há ‘evidências’ de falta de medicamentos no Brasil por novo coronavírus, diz Anvisa

O Estado de S.Paulo – Governo diz ter encontrado fornecedores para máscaras contra novo coronavírus

O Estado de S.Paulo – Por novo coronavírus, governo quer Mais Médicos em cidades maiores e postos abertos até mais tarde

O Estado de S.Paulo – A entrada em vigor da regulamentação da cannabis: a importação como único caminho

O Estado de S.Paulo – Bahia registra primeiro caso de coronavírus; é o nono confirmado no país

O Estado de S.Paulo – Surto de coronavírus aumenta interesse por testes genômicos rápidos

Agência Brasil – Número de beneficiários de planos de saúde fica estável em 47 milhões

Agência Brasil – CTNBio aprova terapia genética contra cegueira

Correio Braziliense – Brasília dá um passo adiante no tratamento do câncer

Correio Braziliense – Evolução: cientistas desenvolvem mão robótica com precisão refinada

ANS – Planos de saúde: ANS divulga números de janeiro

ANS – ANS realiza nova rodada de avaliação de propostas para atualização do Rol

Agência Saúde – Mais de 3 mil municípios fazem parte do programa de informatização do SUS

Anvisa – Temporada 2020 de vacinas influenza: fique por dentro

Anvisa – Suplementos alimentares: aprovada consulta pública

Anvisa – Aprovada classificação para dispositivos médicos

Anvisa – Anvisa faz simulado de plano de contingência em Manaus

Anvisa – Laboratórios analíticos serão tema de reunião pública

Anvisa – Senado Federal: relatórios de AIR da Anvisa em destaque

Anvisa – Webinars: novo marco regulatório da radiologia

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »