No apagar das luzes do governo de Michel Temer (MDB), o Ministério da Saúde deixou de importar um  medicamento essencial para o tratamento de cinco tumores raros que afetam mais as crianças e repassou, sem aviso prévio, a responsabilidade aos hospitais oncológicos do SUS. O jornal Folha de S. Paulo explicou que sem tempo hábil ou sem recursos para uma compra de emergência, alguns hospitais já enfrentam desabastecimento do quimioterápico actinomicina-D, e ao menos 5.000 pacientes correm risco de ter a terapia interrompida. O ofício do ministério tem data de 7 de dezembro, mas, por conta das festas de fim de ano e da mudança nos governos estaduais, muitas instituições só souberam da decisão no início deste mês. Em nota, o Ministério da Saúde diz que a compra e a distribuição da dactinomicina, assim como o dos outros antineoplásicos, é de responsabilidade dos hospitais oncológicos do SUS. Mas que, em 2017, devido a restrições do mercado, a pasta centralizou temporariamente a aquisição.

Metade das prefeituras gasta menos de R$ 403 ao ano na saúde

O portal Terra destacou que o Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou, nesta segunda-feira (21), levantamento que revela que cerca de 2.800 municípios brasileiros gastaram menos de R$ 403,37 na saúde de cada habitante durante o ano de 2017. A análise mostra que esse foi o valor médio aplicado por gestores municipais com recursos próprios em Ações e Serviços Públicos de Saúde declaradas no Sistema de Informações sobre os Orçamentos Públicos em Saúde (Siops). De acordo com os números, municípios menores, em termos populacionais, arcam proporcionalmente com uma despesa per capita maior. Em 2017, nas cidades com menos de 5 mil habitantes, as prefeituras gastaram em média R$ 779,21 na saúde de cada cidadão – quase o dobro da média nacional identificada. Os municípios das regiões Sul e Sudeste foram os que apresentaram maior participação no financiamento do gasto público em saúde – consequência, segundo o CFM, de sua maior capacidade de arrecadação.

Dobram pedidos de refúgio de cubanos no Brasil após saída do Mais Médicos

Dois meses após o anúncio da saída de Cuba do Mais Médicos, cubanos que ficaram no Brasil buscam meios de se manter e se regularizar.  De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a atual secretária de gestão de trabalho do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, diz estimar que ao menos 1.900 médicos que atuaram no Mais Médicos nos últimos anos tenham ficado no país.  A situação levou a pasta a fazer uma reunião com o Ministério da Justiça para discutir alternativas. Segundo Pinheiro, que já foi crítica à vinda dos profissionais, a ideia é buscar meios de legalizar sua permanência no Brasil e ajudá-los a obter documentos para que possam tentar fazer a prova de revalidação do diploma. Ela nega planos de inclusão desses profissionais em versão reformulada do programa Mais Médicos. “Nossa tentativa de ajudar os médicos desertores é humanitária. Alguns recebiam auxílio-moradia e alimentação e estão com dificuldades. Outros estão sem documentos, e sem isso, não conseguem se inscrever para o Revalida”, diz. “O Estado precisa reconhecer que trouxe esses profissionais para cá e que estão sem documentação.”

Certificado internacional de vacinação poderá ser emitido e impresso em casa

O jornal Zero Hora destacou que as pessoas que planejam viajar para países que exigem comprovante de vacina contra a febre amarela poderão, em breve, solicitar e emitir o certificado internacional de vacinação sem sair de casa. A medida faz parte de um novo sistema, em etapa final de testes pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e Secretaria de Tecnologia da Informação do Ministério da Economia (futura Secretaria do Governo Digital). Ao todo, 135 países exigem o certificado internacional de vacinação contra a febre amarela.  A previsão é de que a ferramenta seja lançada no dia 29 deste mês, segundo informações obtidas pela reportagem. Com a mudança, o processo de solicitação do certificado passará a ocorrer de forma digital. O objetivo é reduzir o tempo de espera e possíveis gastos extras do usuário para obter o documento, que é gratuito.

 

SAÚDE NA IMPRENSA
Câmara dos Deputados – Proposta susta decreto que exclui de concurso público prova adaptada a pessoa com deficiência

Ministério da Saúde – Ministério da Saúde lança edital de concessão de bolsas para programas de residência

Sus Conecta – Opas segue parceira do CNS em 2019 rumo à 16ª Conferência Nacional de Saúde

Fiocruz – Fiocruz lança novo microcurso da Formação Modular em Ciência Aberta: “Panorama histórico da Ciência Aberta”

Fiocruz – Fiocruz tem projeto aprovado em edital de colaboração em doenças negligenciadas

Fiocruz – Inscrições abertas para diversos cursos ‘lato sensu’

Anvisa – Vem aí Curso Qualidade em Saúde e Segurança do Paciente

Anvisa – Pesquisa busca perfil de quem notifica eventos adversos

Correio Braziliense – Exercícios e alimentação equilibrada fecham o cerco contra o diabetes

Zero Hora – Dobram pedidos de refúgio de cubanos no Brasil após saída do Mais Médicos

Zero Hora – Certificado internacional de vacinação poderá ser emitido e impresso em casa

Zero Hora –  Hospital Universitário pagará, durante um ano, mais de R$ 180 mil com a locação de aparelhos 

Valor Econômico – A quais benefícios fiscais tenho direito devido a doença?

Valor Econômico – OMS lista as 10 principais ameaças para a saúde em 2019

G1 – Unicef cria cartilha com 10 passos para alimentação e hábitos saudáveis até os 2 anos

G1 – Sobe para 13 número de mortes por hantavírus na Argentina

G1 – RH nulo: O que é o chamado ‘sangue dourado’, o tipo sanguíneo mais raro do mundo

G1 – O país conservador que autorizou a fabricação e venda do ‘Viagra feminino’

G1 – Médicos cubanos que trabalharam no Brasil chegam à Venezuela na próxima semana, diz Maduro

Folha de S. Paulo – Decisão no fim do governo Temer gera desabastecimento de drogas contra tumores raros

Folha de S. Paulo – Dobram pedidos de refúgio de cubanos no Brasil após saída do Mais Médicos

Folha de S. Paulo –  Pesquisadores criam molécula para tratar insuficiência cardíaca

Folha de S. Paulo –  Aplicativos para pessoas com deficiência: como a inteligência artificial pode melhorar a vida de milhões de brasileiros

Folha de S. Paulo –  Câncer de pele continua o mais comum no Brasil

Folha de S. Paulo –  Pesquisadores criam molécula para tratar insuficiência cardíaca

Estadão – Em Pacaraima, ministro alerta para risco de casos de difteria e DSTs

Portal Terra – Metade das prefeituras gasta menos de R$ 403 ao ano na saúde

Panorama Farmacêutico –  Votuporanga integra a cadeia de e-prescrição

Panorama Farmacêutico – Secretário teme que mais arma aumente traumas na Saúde

Panorama Farmacêutico –  Leptospirose: saiba como identificar e quais cuidados tomar

Panorama Farmacêutico – Transplantes de medula podem ter risco de morte zero em breve

Panorama Farmacêutico – USP retira coágulo de artéria no cérebro e devolve movimentos a vítimas de AVC

Panorama Farmacêutico – Cardiologista do HCor alerta: calor aumenta o risco de infarto
__________________________________________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.